Febre amarela afeta a doação de órgãos, tecidos e sangue

1) Porque a febre amarela interfere nas doações?

A vacina da febre amarela é feita com o vírus vivo da doença, que foi modificado em laboratório ( atenuado ) para conferir a imunidade e não causar a doença. Entretanto, existe um risco, apesar de baixo, de transmitir a doença ou sintomas graves da vacina durante a doação de órgãos ou transfusão de sangue de pacientes vacinados recentemente ou pacientes que tiveram a doença.

2) Quem não pode ser doador ?

Segundo orientação da ANVISA divulgada em fevereiro 2017, deve-se esperar 4 semanas (período em que o organismo já eliminou todas as partículas ativas da vacina com os anticorpos) após a vacinação para poder ser doador de órgãos e tecidos. Moradores de zona de risco onde foram diagnosticados casos de febre amarela, como Domingos Martins – ES, e que não se vacinaram, não podem ser doadores.

Pessoas que tiveram a doença, devem esperar de 4 semanas a 6 meses para serem doadores (a depender do tipo de órgão ou tecido a ser doado ). Pacientes que já receberam algum órgão de transplante ou estão com imunidade muito baixa por medicamentos ou doenças graves não podem receber a vacina.

Qual o impacto na doação de órgãos?

Devido ao imenso número de pessoas que se vacinaram e excluindo os que não se vacinaram e moram em área de risco, o número de doações de órgãos no estado está praticamente zerado há um mês, além da queda brusca dos estoques de sangue .Com isso, muitas pessoas que estão na fila na espera de um transplante, acabam falecendo.

Qual a solução?

Esperar essas 4 semanas e aceitar alguns órgãos que vêm de doadores de outros estados, onde não há essa epidemia de febre amarela.

confira botao coluna 2

 

Histórico