Mont_Capixabas-Coluna_Diversidade 2-02

Coluna Diversidade

A história das APAES no Espírito Santo começou em 1965

Publicado em 30/04/2024 às 09:21

Compartilhe

WhatsApp-Image-2024-01-24-at-13.56.47-4

A Apae de Vitória foi a primeira do estado do Espírito Santo.
O Movimento Apaeano teve início no Espírito Santo no dia 7 de maio de 1965, quando a Apae de Vitória foi inaugurada após o Instituto Educacional do Espírito Santo (Inedes) ser extinto. Lá eram atendidas crianças com deficiência intelectual chamadas naquela época de excepcionais. O patrimônio da Entidade foi transferido para a criação da Apae da Capital, a primeira do Estado.

A Instituição iniciou o atendimento a 50 crianças e jovens e a primeira equipe contava com diretor, secretário, seis professores e outras quatro pessoas no apoio. Os serviços foram iniciados no setor Pedagógico e no Centro de Reabilitação, que oferecia Fisioterapia. As atividades já aconteciam no local onde a Instituição funciona hoje, no bairro Bento Ferreira.

A Apae de Vitória iniciou suas atividades trazendo a convicção de que as pessoas com deficiência intelectual e múltipla precisavam de uma atenção diferenciada. A visão estava em sintonia com o Movimento Apaeano no Brasil que defendia o modelo social, considerando a deficiência como um fator que emerge mais do ambiente hostil e das barreiras físicas e atitudinais, que propriamente do sujeito, entendimento pioneiro que só passou a ser mais comum a partir da década de 80.

O grande diferencial do trabalho da Apae está no fato de ela ter sido constituída por pais e outras pessoas amigas da causa, o que torna a Instituição um verdadeiro capital social construído a partir dos anseios das famílias atendidas.

A APAE do Espírito Santo é um exemplo a ser seguido e admirado, uma verdadeira referência na luta pela inclusão e pela igualdade.
Foto: Freepik

Ao longo dos anos, a Federação das APAES do Espírito Santo tem desempenhado um papel crucial na sociedade, sendo um serviço de referência e qualidade no atendimento a pessoas com deficiência intelectual, múltipla e autismo. Por meio de suas ações nas áreas da Saúde, Assistência Social e Educação, a federação oferece suporte e desenvolvimento de forma gratuita, tornando-se uma instituição vital para milhares de indivíduos.

A Federação das APAES do Espírito Santo foi constituída em 1992 e, desde então, se intensifica incansavelmente na defesa e garantia de direitos, na promoção da cidadania, e no assessoramento, formação e capacitação das unidades das APAES. Além disso, busca articulação no âmbito das Políticas de Assistência Social, Saúde e Educação, sempre honrando o compromisso com a inclusão e com o desenvolvimento de todos como cidadãos. A Federação capixaba está presente no estado com 42 filiadas, sendo duas coirmãs (Vitória Down e AMAES), em 40 municípios, onde promove a inclusão social de mais de 10 mil pessoas com deficiência intelectual, múltipla e autismo, bem como suas famílias. A Federação das APAES do Espírito Santo emprega, direta e indiretamente, mais de duas mil e quinhentas pessoas. Nesta coluna, falaremos sobre os serviços prestados pela entidade aos capixabas.

Desde o início de sua história, em 1965, a instituição tem como missão suprir a necessidade de assistência das pessoas com deficiência no Espírito Santo. Desde então, a instituição tem se destacado por sua visão pioneira e compromisso com a promoção da igualdade de direitos e oportunidades para as pessoas com deficiência, tem se dedicado a oferecer atendimento de qualidade e abrangente, buscando constantemente aprimorar seus serviços e se adaptar às necessidades da comunidade, trabalhando para que seus usuários e suas respectivas famílias tenham cada vez mais qualidade de vida.

Na área da Saúde, a Federação das APAES do Espírito Santo conta com equipes multidisciplinares composta por médicos, psicólogos, fisioterapeutas, fonoaudiólogos e terapeutas ocupacionais. A APAE Vitória, por exemplo, conta com fisioterapia, terapia ocupacional, psicologia, fonoaudiologia e consultas médicas especializadas como psiquiatria, pediatria e geneticista, além de triagem de reabilitação, teste psicodiagnóstico e atendimento do bebê de risco. Esses profissionais trabalham em conjunto para fornecer suporte completo aos usuários, desde o diagnóstico até o acompanhamento e tratamento das condições de saúde específicas de cada indivíduo. Além disso, a instituição também oferece serviços de reabilitação, visando melhorar a qualidade de vida e promover a autonomia dos atendidos. A Federação das APAES do Espírito Santo é responsável por três Centros Especializados em Reabilitação no estado, sendo um em Colatina com reabilitação em CER IV que promove cuidados em saúde para habilitação/reabilitação física, intelectual e TEA, auditiva e visual. As APAES de Cachoeiro de Itapemirim e Nova Venécia têm habilitação em CER tipo II, atendendo reabilitação física e Intelectual. O primeiro CER II foi inaugurado em 2016, na Apae de Colatina e no ano seguinte foram realizados mais de 100 mil atendimentos na área da saúde, sendo referência para 17 municípios da região.

O CER é organizado em três formas: o CER II, que é composto por duas modalidades de reabilitação, o CER III, composto por três modalidades, e o CER IV, composto por quatro modalidades. A Federação também possui o SERDIA, Serviço Especializado em Reabilitação de Pessoas com deficiência Intelectual e Autismo. Atualmente, cinco municípios contam com o SERDIA em pleno funcionamento: Iúna, Brejetuba, Piúma, Pedro Canário e Mucurici. No total, 22 municípios estão habilitados para o serviço, enquanto outros 31 já demonstraram interesse em aderir à política. O objetivo é expandir o serviço para todos os 78 municípios do Espírito Santo. A instituição também possui cartilha orientativa para teleatendimento e tem cadeira no Conselho Estadual de Saúde, onde faz articulações importantes em favor das pessoas com deficiência.

Na área da Assistência Social, a Federação das APAES do Espírito Santo desenvolve programas e projetos visando garantir a inclusão social e a participação plena das pessoas com deficiência na sociedade. Através do apoio psicossocial, orientação familiar e encaminhamento para serviços e benefícios, a instituição busca fortalecer os vínculos familiares e comunitários, promovendo a inclusão e o bem-estar dos atendidos, trabalhando para defender e garantir os seus direitos. Além disso, a federação oferece capacitação profissional e oportunidades de inserção no mercado de trabalho, buscando promover a autonomia e a independência dos seus usuários. O apoio técnico na assistência social promovido pela federação é de extrema relevância para o aprimoramento e para a qualificação dos serviços, programas, projetos e benefícios ofertados pelas APAES e coirmãs, e tem como intuito trabalhar em consonância efetiva com as diretrizes e resultados esperados pela sociedade capixaba.

A articulação da federação junto ao Governo do Estado, em especial nas secretarias de assistência social e direitos humanos, foi fundamental para o fortalecimento das políticas de assistência e para que tenhamos um olhar específico para a pessoa com deficiência no Espírito Santo. A federação das APAES capixaba também ocupa assento e desempenha papel importante no Conselho Estadual de Assistência Social.

No campo da Educação, a entidade oferece educação inclusiva de qualidade, adaptada às necessidades individuais de cada aluno. A Federação das APAES do Espírito Santo possui escolas especializadas que proporcionam um ambiente acolhedor e estimulante, promovendo o desenvolvimento cognitivo, emocional e social das pessoas com deficiência. Em parceria com a SEDU, Secretaria de Estado de Educação, é oferecido o AEE, Atendimento Educacional Especializado no contraturno da escola regular.

Os alunos da educação especial matriculados em escolas de tempo integral também passaram a ter direito ao AEE, através da Lei Complementar N° 1.015 de 17 de maio de 2022. Assim como nas outras áreas que atua, o apoio técnico da federação na educação também é levado muito a sério e visa fortalecer os processos de trabalho.

Ao longo dos anos, a Federação das APAES do Espírito Santo tem alcançado resultados significativos e transformadores na vida das pessoas com deficiência e suas famílias. Por meio do acolhimento, do respeito e da valorização da diversidade, a federação tem contribuído para a construção de uma sociedade mais inclusiva e igualitária. O trabalho realizado pela federação é um exemplo de comprometimento, dedicação e superação, que inspira e motiva a todos que têm o privilégio de conhecê-la.

Durante a sua história, o Movimento Apaeano capixaba enfrentou diversos desafios, mas sempre se manteve firme com o seu compromisso de oferecer o seu melhor atendimento aos capixabas. A instituição tem se adaptado às mudanças sociais e legislativas, buscando sempre aprimorar seus serviços e garantir que as pessoas com deficiência tenham acesso a todos os seus direitos.

O núcleo de comunicação da federação também desempenha um papel importante na conscientização e na sensibilização da sociedade em relação às questões relacionadas à deficiência. Por meio de campanhas, eventos e parcerias, a Federação das APAES do Espírito Santo tem trabalhado para combater o preconceito e promover uma cultura de inclusão e respeito.

É importante destacar que a Federação das APAES do Espírito Santo não estaria onde está hoje sem o apoio e a colaboração de diversos parceiros, voluntários e doadores. O envolvimento da comunidade é fundamental para que a instituição possa continuar oferecendo seus serviços de forma gratuita e de qualidade. A solidariedade e a empatia demonstradas por aqueles que se unem à causa das APAES e suas coirmãs, Vitória Down e AMAES, são essenciais para a construção de um mundo mais inclusivo e justo.

Essas instituições têm deixado um legado de inclusão e superação. Milhares de pessoas são beneficiadas e têm suas vidas transformadas. Cada conquista, cada avanço e cada sorriso são motivos de celebração e inspiração para continuar lutando por uma sociedade mais inclusiva, melhor. A Federação das APAES do Espírito Santo representa esperança, dignidade, oportunidades e inclusão. Seu trabalho incansável e comprometido tem sido fundamental para promover a inclusão e garantir que as pessoas com deficiência sejam valorizadas por suas habilidades e potenciais, independentemente de suas limitações. A Federação das APAES do Espírito Santo é um exemplo a ser seguido e admirado, uma verdadeira referência na luta pela inclusão e pela igualdade.

Veja também

cafes-es

Cafés do Espírito Santo no topo do Prêmio Artesanal de Cafés Especiais Torrados

cafe-conilon

Produção de café conilon deve ser a 3ª maior na série histórica no Espírito Santo

Pesquisa-utiliza-biocarvao-de-casca-de-laranjeira-e-eucalipto-para-filtrar-esgoto

Pesquisa utiliza biocarvão de casca de laranjeira e eucalipto para filtrar esgoto

roberto-kautsky-1

Roberto Anselmo Kautsky: o botânico capixaba que revelou ao mundo a beleza das orquídeas do Espírito Santo

Programa-Saude-na-Escola-leva-conscientizacao-e-cuidados-a-criancas-e-adolescentes-em-todo-Estado

Programa Saúde na Escola leva conscientização e cuidados a crianças e adolescentes em todo Estado

Recorde-nas-exportacoes-do-agro-capixaba-no-1o-quadrimestre-de-2024

Recorde nas exportações do agro capixaba no 1º quadrimestre de 2024

Mulheres-Positivas-abre-periodo-de-indicacoes-para-premio-voltado-a-empreendedoras-no-Agro

Mulheres Positivas abre período de indicações para prêmio voltado à empreendedoras no Agro

brasil-24-05-ft-Rafa-Neddermeyer-abrigo-chuvas-sul

Pessoas físicas doam R$ 35 mi do IR para fundos do Rio Grande do Sul

Últimos artigos de Coluna Diversidade