Conheça sete mitos e verdades sobre o mel

Publicado em 01/05/2024 às 06:00

Compartilhe

mel

O mel é uma das iguarias mais versáteis na cozinha, utilizado como a forma mais saudável e nutritiva para adoçar bebidas, incrementar sobremesas e as mais diversas receitas. Entretanto, o consumo do mel ainda gera uma série de questionamentos: qual a forma correta de armazená-lo? O mel é realmente saudável? O que fazer quando o mel cristaliza?

Para desmistificar o tema, a Baldoni, marca de gestão na categoria de mel no Brasil, elencou sete mitos e verdades esclarecidos pelo doutor em Tecnologia de Alimentos e CEO da marca, Daniel Cavalcante. Veja abaixo.

O Brasil possui alto consumo de mel

Mito. Atualmente, o consumo de mel no Brasil é de apenas cerca de 60 a 70 gramas por pessoa, totalizando em torno de 15 mil toneladas consumidas anualmente. Esses números são relativamente baixos, em parte devido ao legado do período de colonização, que estabeleceu uma forte preferência pelo consumo de açúcar entre os brasileiros. Como resultado, um alimento tão saboroso e nutritivo como o mel acabou sendo negligenciado.

Adoçar o café com mel ao invés do açúcar é mais vantajoso à saúde

Verdade. O mel pode ser utilizado como uma opção saudável para adoçar diversas bebidas, como o café, lembrando que o consumo de açúcar refinado é limitado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) a 10% do total de calorias diárias.

É importante ressaltar que o mel é composto por 80% de água e 20% de carboidratos. Por isso, o consumo excessivo pode impactar na saúde. Portanto, a recomendação é consumir o mel com moderação e buscar orientação de um nutricionista para saber a melhor forma de integrá-lo na rotina.

Todo mel é igual, o que muda é a embalagem do produto

Mito. Ao comprar mel, é fundamental observar atentamente o rótulo, pesquisar sobre as empresas que o comercializam e verificar a presença do selo de inspeção federal. Isso garante a origem e a qualidade do produto que será adquirido, evitando possíveis riscos à saúde. Infelizmente, há produtos adulterados no mercado contendo substâncias prejudiciais, como pesticidas, antibióticos, fungicidas e metais pesados, cujo consumo pode causar alergias, intoxicação e até consequências mais graves a longo prazo.

Apesar de ter sido por muito tempo tratado como um alimento sem variedade ou classificações, é importante destacar que nem todo mel é igual. A classificação por floradas, por exemplo, permite que os méis apresentem características únicas como viscosidade, consistência, cor, aroma e tempo de cristalização.

O mel traz diversos benefícios à saúde

Verdade. O mel é rico em vitaminas e minerais como cálcio, ferro, potássio e magnésio, que melhora a saúde do coração e colesterol, além de aumentar as defesas do corpo e diminuir os triglicerídeos. A literatura científica ainda relata vantagens do consumo do mel para a saúde cognitiva.

O melhor local para guardar o mel é na geladeira

Mito. Se a preferência em consumir o mel é na sua forma líquida, o local mais apropriado para armazenar o mel deve ser na despensa ou armário, em temperatura ambiente, protegido da luz e umidade para que não cristalize. Temperaturas baixas fazem com que suas moléculas se quebrem, transformando-os em pequenos cristais. Contudo, esse processo não interfere nas suas propriedades nutricionais. Consumir o mel no estado líquido ou sólido é da preferência de cada pessoa.

A principal função das abelhas é a produção do mel

Mito. Muitas pessoas associam as abelhas principalmente à produção de mel. Contudo, sua função principal é a polinização. Ao percorrer o caminho entre as flores, as abelhas captam o pólen, contribuindo significativamente para a biodiversidade e produção de alimentos essenciais para a saúde. Essa jornada desempenha um papel fundamental na manutenção da biodiversidade e na garantia da segurança alimentar.

O mel cristalizado é impróprio para o consumo

Mito. Apesar de bem armazenado, é comum encontrar pequenos cristais no mel, o que pode dificultar sua retirada da embalagem. No entanto, isso não indica que o mel estragou ou que seja de qualidade inferior. A cristalização é um processo natural e um dos fatores que evidenciam a autenticidade do alimento, preservando suas propriedades e nutrientes.

Confira, ainda, dicas simples para descristalizar o mel:

  • Para que o mel cristalizado se torne viscoso novamente, basta aquecer a água em uma panela grande o suficiente para imergir a embalagem toda, deixando apenas a tampa para fora. Desligue o fogo quando a temperatura da água chegar em 45ºC;
  • Importante: não ferva a água. A temperatura deve ser suficiente para manter a mão por 5 segundos dentro da água;
  • Deixe a embalagem por tempo suficiente para que os cristais se dissolvam. Se necessário, reaqueça a água;
  • Não coloque no micro-ondas. Isso pode fazer com que o mel perca suas propriedades nutricionais.

Fonte: Press Aporter

Veja também

cafes-es

Cafés do Espírito Santo no topo do Prêmio Artesanal de Cafés Especiais Torrados

cafe-conilon

Produção de café conilon deve ser a 3ª maior na série histórica no Espírito Santo

Pesquisa-utiliza-biocarvao-de-casca-de-laranjeira-e-eucalipto-para-filtrar-esgoto

Pesquisa utiliza biocarvão de casca de laranjeira e eucalipto para filtrar esgoto

roberto-kautsky-1

Roberto Anselmo Kautsky: o botânico capixaba que revelou ao mundo a beleza das orquídeas do Espírito Santo

Programa-Saude-na-Escola-leva-conscientizacao-e-cuidados-a-criancas-e-adolescentes-em-todo-Estado

Programa Saúde na Escola leva conscientização e cuidados a crianças e adolescentes em todo Estado

Recorde-nas-exportacoes-do-agro-capixaba-no-1o-quadrimestre-de-2024

Recorde nas exportações do agro capixaba no 1º quadrimestre de 2024

Mulheres-Positivas-abre-periodo-de-indicacoes-para-premio-voltado-a-empreendedoras-no-Agro

Mulheres Positivas abre período de indicações para prêmio voltado à empreendedoras no Agro

brasil-24-05-ft-Rafa-Neddermeyer-abrigo-chuvas-sul

Pessoas físicas doam R$ 35 mi do IR para fundos do Rio Grande do Sul