PEC dos Precatórios: com 342 votos, Câmara rejeita destaque do PT

Publicado em 09/11/2021 às 17:20

Compartilhe

104196


source
Sessão para analisar a PEC dos Precatórios
Antônio Augusto/Câmara dos Deputados

Sessão para analisar a PEC dos Precatórios

A Câmara dos Deputados rejeitou, por 342 votos a 140, destaque do PT à PEC dos Precatórios (PEC 23/21, do Poder Executivo) e manteve no texto a permissão para os governos usarem em finalidades não vinculadas, como educação e saúde, recursos obtidos pela venda com desconto de dívidas de contribuintes a receber.

A Constituição determina que a vinculação de receitas de impostos pode ocorrer para o cumprimento de investimento mínimo em saúde e educação, para realização de atividades da administração tributária, na prestação de garantias às operações de crédito por antecipação de receita, para o pagamento de débitos com a União ou prestar garantia ou contragarantia.

Para concluir a votação da matéria em primeiro turno, os deputados precisam votar outros destaques apresentados pelos partidos na tentativa de mudar trechos do texto do relator Hugo Motta (Republicanos-PB) aprovado semana passada.

Precatórios são dívidas do governo com sentença judicial definitiva, podendo ser em relação a questões tributárias, salariais ou qualquer outra causa em que o poder público seja o derrotado.

Veja também

© Washington Alves/COB/Direitos Reservados

Basquete: Brasil derrota Chile nas Eliminatórias da Copa do Mundo

© Marcello Casal JrAgência Brasil

Covid-19: ministro anuncia proibição de voos oriundos de seis países

© Felipe Oliveira/EC Bahia/Direitos Reservados

Brasileiro: Bahia derrota Grêmio por 3 a 1 e deixa Z4

© Marcelo Camargo/Agência Brasil

Não há casos da nova variante identificados no Brasil, diz ministério

© Fernando Brito/MS

Fiocruz pede inclusão de BioManguinhos como produtor de IFA nacional

106933

Chineses ignoram governo e usam criptomoedas para mandar dinheiro para o Japão

106931

INSS: Normas temporárias para concessão de auxílio é constitucional, decide STF

106929

Campos Neto diz que inflação vai melhorar a partir de 2022