Chuva e calor: o mosquito da dengue, zika e chikungunya está de volta

Chuva e calor ligam o sinal de alerta para os cuidados com a água parada, onde o Aedes aegypti se reproduz. O mosquito é responsável pela disseminação de três doenças que podem ter consequências graves: chikungunya, zika e dengue. No Estado, várias cidades já confirmaram a circulação dos vírus. Este ano já foram notificados 1.426 casos de chikungunya entre 1º de janeiro de 2017 e o último sábado (25).

chuva e calor dengue zikaDentro desse total, há um óbito confirmado. Há registro do vírus em 22 municípios: Afonso Cláudio, Alfredo Chaves, Aracruz, Baixo Guandu, Barra de São Francisco, Cachoeiro de Itapemirim, Cariacica, Colatina, Conceição da Barra, Guaçuí, Guarapari, Jerônimo Monteiro, Linhares, Marechal Floriano, Montanha, Nova Venécia, São Mateus, Serra, Vargem Alta, Viana, Vila Velha e Vitória.

No mesmo período, foram notificados 504 casos de infecção pelo zika no Espírito Santo. O vírus é apontado como o causador de microcefalia em bebês, caso a mãe se contamine durante a gestação. Os municípios que apresentam casos de zika confirmados são: Alto Rio Novo, Aracruz, Baixo Guandu, Barra de São Francisco, Cachoeiro de Itapemirim, Cariacica, Castelo, Colatina, Domingos Martins, Fundão, Guarapari, Iconha, Irupi, Itaguaçu, Itarana, Iúna, Mantenópolis, Marataízes, Marechal Floriano, Mucurici, Muniz Freire, Nova Venécia, Pinheiros, Presidente Kennedy, Santa Teresa, São José do Calçado, Serra, Sooretama, Viana, Vila Velha e Vitória.

Os números da dengue não foram atualizados, mas até outubro, se mostravam alarmantes: foram 10.395 casos no Espírito Santo, do total, 254 são casos graves e oito são óbitos sob investigação.