Morador de Santa Teresa concorre à eleição para a Câmara dos Deputados da Itália

A Região Serrana do Estado pode ter um representante no Parlamento italiano, já neste ano. O empresário do município de Santa Teresa, Thiago Vicente Roldi, é um dos ítalo-brasileiros que concorrem a uma das três vagas para a Câmara dos Deputados do país Europeu.

Postulante ao cargo que terá a votação realizada no próximo dia 4 de março, Thiago, 36 anos, tem como principais propostas dar ao Consulado Honorário da Itália no Espírito Santo mais autonomia para realizar alguns trâmites, estreitar os laços entre Brasil e Itália, com projetos de intercâmbio para jovens e profissionais, divulgando o país no mercado italiano, além de criar um portal de transparência para acompanhamento dos processos e da aplicação dos recursos provenientes das taxas consulares.

Com descendência dos povos trentinos, lombardos e friulianos, em 2005, ele adquiriu a cidadania italiana e viveu por três anos na Itália, período em que passou a compreender mais o país. “Nesse tempo, pude entender e valorizar minhas origens e também perceber como faltam informações à Itália em relação às dificuldades pelas quais passaram as famílias que emigraram de sua terra natal para o continente sul americano”, destacou Thiago.

Em 2015, ele já se candidatou a uma vaga na Câmara de Deputados, mas a eleição não aconteceu. Thiago explica como funcionará o portal de transparência, que está entre as suas propostas. “Esse portal servirá para as pessoas terem acesso aos dados do seu processo de cidadania, onde esses dados estão, se faltam documentos ou não, se a pessoas está inscrita no Cadastro dos Italianos Residentes no Exterior (Aire), e outras informações que muitos não tem”, conta o candidato.

Segundo o empresário, no Espírito Santo existem cerca de 18 capixabas com direito a voto. Ele também considera que o Estado tem a comunidade com o maior percentual de italianos do Brasil, mas que não há um serviço consular local que a atenda.

“Nós temos um consulado honorário em Vitória que não tem autonomia para prática de cidadania, não consegue emitir passaportes, o que é uma incoerência”, considerou o empresário.

Junto com Thiago, outros 14 ítalos-brasileiros estão concorrendo a quatro vagas para Câmara italiana. Além disso, o número de deputados e senadores eleitos - que também terá a votação realizada no dia 4 de março, para cada uma das repartições é proporcional à quantidade de italianos residentes.

No total, são quatro repartições: Europa e territórios asiáticos da Federação da Rússia e Turquia; América Meridional; América Setentrional e Central; África, Ásia, Oceania e Antártica. Serão eleitos 18 parlamentares, sendo 12 deputados e seis senadores. Para a América do Sul, além das quatro vagas de deputados, outros dois senadores serão eleitos.

Quem pode votar?

O voto para as pessoas que moram no exterior é um direito dos italianos nascidos ou não na Itália, que tenham 18 anos completos. Podem votar as pessoas que residirem fora do território italiano e que estiverem inscritos ao Cadastro dos Italianos Residentes no Exterior (Aire), o que representa a dupla cidadania.

Como votar?

A pessoa que possui a dupla cidadania italiana e quer votar, receberá na sua casa uma ficha de votação para a Câmara (de cor rosa), outra ficha para o Senado (de cor verde), um envelope de cor branca pequeno, e outro envelope que é a carta (de cor parda), além do certificado eleitoral, e de algumas instruções para o voto.

Para exercer o voto para a Câmara, a pessoa deve marcar um “X” (com uma caneta de cor azul ou preta) na logomarca do partido do seu candidato e escreve ao lado o nome do seu candidato. Na votação para o Senado o procedimento se repete, reforçando que o eleitor deve marcar com o “X” a logomarca do partido do seu candidato e escrever o nome dele ao lado.

Ao realizar o voto, os dois envelopes (nas cores rosa e verde) devem ser dobrados e colocados dentro do envelope de cor branca e selá-lo. Feito isso, o envelope branco deve ser posto dentro do envelope da carta resposta (de cor parda) e junto com ele deve ser posto o canhoto (a parte de baixo) do certificado eleitoral e selá-lo. Após isso, ele deve ser enviado pelos correios, sem nenhum custo. Thiago Vicente Roldi concorre pelo partido UNITAL (Unione Tricolore America Latina).