Homem mata a esposa a facadas na frente da filha em Santa Maria de Jetibá

Um crime ocorrido em Alto Santa Maria, localidade do interior de Santa Maria de Jetibá, chocou os moradores da região. O pedreiro Arledio Iequel, 32 anos, é acusado de ter matado a ex-esposa, Sirlei Detman Baike, 32, com golpes de faca. Em seguida ele teria cometido suicídio. O crime ocorreu na frente da filha do casal, de 8 anos.

Vizinhos encontraram o casal esfaqueado e chamaram o SAMU, na esperança de que eles ainda estavam vivos, mas e equipe já encontrou os dois mortos. A Polícia Militar também foi solicitada às 9h40 de manhã de hoje (21), e policiais seguiram até o local.

Os corpos foram encontrados um ao lado do outro. Diversos conhecidos foram ao local ao saberem da tragédia familiar. Um vizinho do casal contou que, na manhã de hoje, ao sair de sua casa, ouviu uma mulher gritando por socorro. Foi quando ele viu Arledio esfaqueando Sirlei.

O vizinho ainda gritou para Arledio parar, mas ele não atendeu e o ameaçou. O homem foi até um posto de saúde da região e um funcionário seguiu com ele até o local do crime, mas eles encontraram o casal já sem vida. Foi quando eles chamaram o SAMU, que confirmou o óbito.

De acordo com informações de parentes do casal, os dois brigavam constantemente, e já haviam se separado pelo menos oito vezes. Entretanto, eles continuavam morando na mesma residência. No último dia 13, Sirlei registrou uma ocorrência contra o ex-marido, solicitando medida protetiva, sendo os procedimentos providenciados pela Delegacia de Polícia Civil do município.

No último sábado (18), Arledio teria saído de casa, indo morar na localidade de Rio Veado, cumprindo a medida protetiva. Na manhã de hoje, ele foi até a casa onde Sirlei continuava morando, pulou a janela para entrar na residência e iniciou uma discussão com a mulher.

Ainda no interior da casa, ele desferiu os primeiros golpes de faca. Sirlei teria corrido para o quintal, sendo perseguido pelo assassino, que pegou outra faca. A filha do casal, de 8 anos, contou aos policiais que viu todo o crime, de uma greta da janela da casa.

A criança contou que após matar a mãe, Arledio tomou um copo de veneno usado em lavouras. Em seguida, ele deu um golpe com a faca em seu peito. Conhecidos da família disseram que quando o pedreiro tomava bebida alcoólica, ele se tornava agressivo. Uma equipe da Polícia Civil foi até o local para a realização das perícias e liberação do corpo.