Dificuldades no manejo podem afetar a produtividade e a qualidade do cultivo

De acordo com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), a produção de café no Brasil cresceu 56% em volume e apenas 34% em faturamento bruto nos últimos dez anos. O engenheiro agrônomo e diretor da Hydra Irrigações, Elídio Torezani, explica que os altos custos de produção do café e os longos períodos de preços baixos são os principais fatores que desmotivam os produtores deste segmento.

“É preciso investir em processos que levem a melhoria da qualidade do grão do café e a ganhos de produtividade, para que se obtenha melhor rentabilidade”, afirma Torezani.

Ele ressalta ainda que um dos processos que podem favorecer muito estas melhorias, otimizando o uso dos recursos e aumentando a efetividade das ações agronômicas, é a irrigação com um bom manejo. “Tanto a falta quanto o excesso de água podem comprometer a saúde das plantas e gerar perdas no cultivo. Por isso, a irrigação adequada é uma solução para fornecer umidade e nutrientes na quantidade exata”, diz.

O engenheiro agrônomo esclarece que alguns erros na hora de irrigar o cafezal devem ser evitados. Ele pontua os principais cometidos pelos produtores:

Manejo incorreto: fazer as programações de aplicação de água no momento e na quantidade errados;

Desperdício de fertilizantes: utilizar o recurso de forma indevida, seja pelo exagero ou pela escassez.

Falta de auxílio de uma equipe especializada no manejo da irrigação de café: ausência de orientação sobre os processos na hora de irrigar e os consequentes reflexos agronômicos nas plantas.

Evento

Na próxima quarta-feira, o engenheiro agrônomo vai compartilhar dicas exclusivas para reduzir os custos na produção do grão e também melhorar a produtividade, no 12º Simpósio Estadual do Café, no Auditório do Centro de Comércio de Café de Vitória, na Enseada do Suá, em Vitória.

Além disso, Torezani também vai orientar o público presente sobre o manejo agronômico da irrigação, tirando todas as suas dúvidas sobre as altas tecnologias do segmento.