Moradores sentem falta das águas das nascentes nas matas de Marechal Floriano

Embora preservadas, as florestas que circundam a sede de Marechal Floriano não fornecem mais aos moradores a água das nascentes que fluíam com bastante originalidade, ao longo da linha férrea. A força da água formava um pequeno córrego que transbordava.

Moradores sentem falta das águas das nascentes nas matas de Marechal Floriano“As águas ultrapassavam os trilhos, e se aproximavam da rua principal da antiga vila”. A informação é do Aloir Nascimento. Ele afirma que apesar do senso de preservação dos proprietários das florestas, as nascentes desapareceram há alguns anos com a presença das árvores vivas.

“Não posso entender porque as águas da parte lateral da linha secaram, sem que jamais os proprietários tivessem decepado pelo menos um galho, e a comprovação da preservação ambiental se encontra a olhos vistos, já que a família do comerciante José Henrique Pereira, sempre esteve ao lado da legislação”, disse Nascimento.

Moradores sentem falta das águas das nascentes nas matas de Marechal Floriano 2O morador Cinésio Beltran, que reside há mais de uma década em Marechal Floriano também sente falta da água escorrendo na pedreira e formando no piso ao lado da linha um pequeno manancial. “Podemos comparar Marechal Floriano com municípios de altos índices pluviométricos e mesmo assim a água desaparece apesar da floresta preservada”, lembra.

Adelmo Stein, ressaltou que nasceu em Marechal Floriano, e ainda menino, adorava se banhar no pequeno córrego ao lado da floresta de onde descia a água e, retirar na época de Natal os materiais naturais sobre as pedras, denominados como musgo e limo para enfeite do presépio. “Era o nosso prazer entrar na água e agora não tem nada mais, embora a mata esteja de pé”.