Equipe de ferroviários encontra dificuldades para limpar a linha férrea em Marechal Floriano

Começou na manhã desta quarta-feira (15) a limpeza dos lamaçais que desabaram durante as tempestades no fim do ano anterior em forma de barrancos sobre a linha férrea da antiga estrada de Ferro Leopoldina que liga Vitória a Cachoeiro do Itapemirim. As dificuldades da equipe que trabalha com uma retroescavadeira são visíveis.

Equipe de ferroviários encontra dificuldades para limpar a linha férrea em Marechal FlorianoO equipamento não consegue muito espaço para as manobras e faltam locais vazios para dispensar o material desabado. A lama, apesar dos dias ensolarados, não ressecou e com a chuva da última semana, houve novos escorrimentos. Mas a equipe que trabalha com a retroescavadeira não abandonará o trabalho.

Os homens com o aparelho buscarão, segundo os trabalhadores, alternativas para concluir o serviço de limpeza total da linha, que em algumas partes, ainda se encontra sob a terra amarelada. Os servidores não param de trabalhar e esperam obter sucesso na mão de obra dificultosa.

“Sairemos daqui para o Poço Fundo, no lado norte de Marechal Floriano, onde há problemas semelhantes a esse, somente quando concluirmos esse trabalho”. Assim declarou um dos ferroviários que está trabalhando sem parar na mão de obra de limpeza da linha e terrenos acima do nível dos trilhos.

Equipe de ferroviários encontra dificuldades para limpar a linha férrea em Marechal Floriano Para o ferroviário aposentado, José Borgo, a situação vivida pelos ferroviários na atualidade é absolutamente diferente da antiga, que quando caía uma ou outra barreira esporadicamente, um grupo de homens trabalhava com ferramentas manuais sem parar. “Todos ficavam até a passagem ficar totalmente livre para os trens”, disse.

O comerciante Paulinho Pereira se lembra bem da situação de extrema dificuldade enfrentada pelo pessoal da antiga ‘via permanente’, como era denominado o grupo de trabalho de limpeza e recuperação da via férrea. “Eles não possuíam retroescavadeira e sim pás e enxadas, e muito suor para molhar a camisa”, sorri.