Omelete de forno

Mario Luis Martins de Almeida , 25 Abril 2019

Omelete de forno

omelete de forno altaTudo começou com um “convite” de meu filho, que trabalha com produção de vídeos, para eu ser o fornecedor da alimentação da equipe que ele dirige e que iria filmar um clip de uma cantora capixaba. Seriam entre 8 e 10 pessoas, e os menus teriam que ser vegetarianos! Na hora topei o desafio e comecei a trabalhar na pesquisa e elaboração dos cardápios, já que seriam 4 dias e eu teria que preparar os cafés das manhãs, os almoços e os lanches da tarde.

Descobri uma enormidade de opções, mas eu tinha, ainda, que me restringir a pratos simples, pois iria trabalhar somente com a ajuda de minha esposa, que fossem práticos e, claro, saborosos!

Para os cafés das manhãs seriam pães, bolos e frutas, além de café, achocolatado e leite, sucos, queijo fresco e geléias, além de granola e iogurte caseiro.

Os almoços constariam de feijão, arroz integral com e sem brócolis, um saladão bem colorido e farto (uma panzanela, um tabule, uma com penne e uma com feijão branco), tian de legumes, num dos dias, yakisoba, em outro, lasanha de espinafre no seguinte e, para fechar com “chave de ouro”, o almoço do último dia teria uma omelete de forno.

Também fariam parte dos almoços as sobremesas: doces em compota, manjar branco, pudim de leite e, para encerrar, cuscuz de tapioca com coco ralado e leite condensado, sucesso absoluto!

Os lanches seriam compostos por café, leite e achocolatado, pães e bolos, queijo e geléias, sucos, chá mate, torta salgada de pão num dos dias e queijo quente de forno, em outro...

Para a omelete de forno, primeiro preparei os legumes que iria utilizar: cortei em cubinhos 2 cenouras grandes descascadas e cozinhei-as em água salgada por 5 minutos, só para amaciar um pouco; fiz o mesmo com 2 abobrinhas verdes, uma bandejinha de vagens francesas e 2 cebolas roxas médias. Num bol grande coloquei vinte ovos, quebrando um a um em outra vasilha para não ter uma surpresa com um possível ovo estragado arruinando os demais, os bati com um fouet até misturar bem as gemas com as claras, adicionei uma colher de sopa cheia de sal, quatro de farinha de trigo, sempre mexendo para não empelotar, e duas de pó Royal.

Neste mesmo bol adicionei à mistura as cenouras cozidas e escorridas, as abobrinhas, as vagens e as cebolas picadas, além de uma caixinha de milho e outra de ervilhas em conserva, sem o líquido, além de uma colher de sopa de cheiro verde (salsinha e cebolinha) fresco bem picado. Coloquei, também, uma colher de sopa cheia de um tempero comprado pronto que contem cebola, alho, salsinha, manjericão e pimentão vermelho desidratados. Então homogeneizei bem a mistura e despejei-a num pirex retangular fundo e grande, devidamente untado com azeite.

Antes de levar ao forno quente, por mais ou menos uma hora, salpiquei bastante queijo parmesão ralado e, quando a superfície ficou dourada e o queijo derretido, retirei o pirex, cobri-o com papel alumínio e coloquei-o cuidadosamente numa embalagem térmica. Em seguida parti para o set de filmagem, onde os integrantes da equipe aguardavam esfomeados a chegada do tão esperado almoço!

Aos poucos “devoraram”, literalmente, a salada (panzanela), depois a omelete, acompanhada por arroz integral com brócolis, e a sobremesa, o cuscuz de tapioca. Pelos sorrisos deles, muito bem alimentados depois de terminada a refeição, não tive dúvida que tudo agradou bastante, e elogios não faltaram! Que bom! Missão cumprida! E até a próxima!

Ah! Esta omelete pode ser preparada usando também no recheio, nas versões não vegetarianas, frango desfiado, ou camarões descascados e passados na manteiga, calabresa ou presunto picadinhos, carne moída refogada ou salsicha em cubinhos, por exemplo, que ficará igualmente muito saborosa, com certeza! E você pode usar, ainda, outros vegetais, como pimentões, cogumelos, brócolis, etc... Use sua imaginação!

 

confira botao coluna 2

 

Histórico