Guedes diz que bancos brasileiros são ‘politicamente militantes’

Publicado em 24/11/2021 às 12:20

Compartilhe

106487


source
Paulo Guedes, ministro da Economia
Edu Andrade/Ascom ME

Paulo Guedes, ministro da Economia

O ministro da Economia, Paulo Guedes, concedeu entrevista ao jornal Financial Times, visto como a ‘bíblia do mercado financeiro’, e criticou as instituições financeiras nacionais que, na visão dele, estariam “militando” contra a reeleição do presidente Jair Bolsonaro. 

Para Guedes, as atitudes são reflexo de um cenário futuro desafiador, que fazem com que os juros cresçam, diminuindo o crescimento econômico. 

“É claro que (os bancos) estão errados. Ou estão errados ou são politicamente militantes. Eles estão tentando afetar a eleição… Eles ainda não aceitaram a eleição de Bolsonaro”, afirmou o ministro.

Guedes considera a inflação o maior problema para 2022, não o crescimento econômico. Analistas do mercado financeiro discordas e veem a Selic impactando negativamente o PIB (Produto Interno Bruto). 

O Relatório Focus produzido por mais de 100 economistas já estima crescimento abaixo de 1% no ano que vem (0,7%).

Guedes reiterou que os críticos à sua gestão têm errado consistentemente suas previsões. “Vamos voltar a surpreender o mundo”, disse Guedes, pouco depois de regressar de uma missão comercial e de investimentos ao Golfo Pérsico. “Não estou me gabando do Brasil, estou apenas dizendo que vocês sempre nos subestimaram.”

Leia Também



Veja também

107714

Cumbre Vieja: mais de 6 mil pessoas ficam desabrigadas por conta das erupções

107712

Alemanha: Merkel se despede após 16 anos como chanceler

107710

Polícia prende homem que estava armado em frente à sede da ONU nos EUA

© Raquel Portugal/FioCruz

Boletim da Fiocruz sinaliza aumento de casos de SRAG em 13 estados

© NIAID

Ministério confirma cinco casos da variante Ômicron no Brasil

© NIAID

País segue tendência estável de transmissão da covid-19

© Arquivo/Gilberto Marques/Governo do Estado de São Paulo

Rio monta estrutura extra para atender casos de gripe

107700

Auxílio gás e Alimenta Brasil são regulamentados por Bolsonaro