POMERANA

Coluna Pomerana

Traços dos Kaschuben no ovo gigante de Pomerode: uma conexão histórica e cultural

Publicado em 15/05/2023 às 10:00

Compartilhe

Colunas-Montanhas-capixabas-Pomerano

Folha Pomerana Express | Um Informativo à disposição da Comunidade Pomerana Brasileira
Franz Lerchenmüller
Correspondência Cultural da Europa Oriental n.º 484
Maio de 2023
Tradução Ivan Seibe
l

Muitos foram os povos que “caminharam pelos campos da Pomerânia”, entre eles os Kaschuben que deixaram seu legado e que ainda podem ser encontrados no Norte da Polônia, mais à leste do Mar Báltico. Claro que hoje é um pequeno fragmento se comparado a extensão que esse povo eslavo já ocupou um dia, sendo obrigados a frequentes movimentos territoriais.

Nas terras próximas ao Mar Báltico, os Kaschuben ocupa-vam vastas extensões. Para se ter uma ideia, no período do início da Idade Média, eles ocu-pavam amplas regiões incluindo Belgard e Neustettin. Ao longo dos séculos eles sofreram fortes influências/intervenções em sua cultura, quer seja pelas constantes campanhas de germanização da região ou pelas intervenções políticas, como exemplo as dinastias dos duques da Pomerânia que mudavam “toda hora” as configurações territoriais da região.

A Pomerânia ao longo do último milênio foi um grande “campo de invasões” das mais diversas tribos, e nesse ambiente viviam os Kaschuben. Por volta do ano de 1648 essa região da Pomerânia se tornou parte do reino de Brandenburg e a língua Kaschubiana naquele momento foi proibida no sistema escolar e na literatura e, nas décadas seguintes na região de Stolp e Schlawe a cultura Kaschubiana foi totalmente germanizada. Então, quando falamos da Pomerânia ocidental, a cultura deste povo eslavo foi de certa forma “varrida”, e os remanescentes foram sendo empurrados para a parte mais oriental da Pomerânia (para o leste), atualmente totalmente integrados aos poloneses, no entanto mantendo vivas algumas manifestações.

Como é um povo que faz parte da história da antiga Pomerânia, claramente os Kaschuben influenciaram o que conhecemos atualmente como povo e descendentes pomeranos. Eu diria que essa profusão ao longo de séculos de tribos eslavas e tribos germânicas, é o resultado do povo pomerano.
No início da idade média (século V) havia Kaschuben na região de Belgard que ali viveram por séculos, e, por volta do ano de 1250 o duque Barmin I promoveu o assentamento de camponeses, comerciantes e artesãos germânicos para povoar a região e introduzir novas tecnologias no campo. Logo, ocorreu uma integração de eslavos e germânicos, claro que a visão aqui é mais generalista.

Então, os pomeranos, e, por sua vez, os imigrantes que de forma majoritária ocuparam o Vale do Rio do Testo (Pomerode), tem influência eslava dos Kaschuben. Famílias como Günther, Hass, Lach, Steinert, Trettin e Zinnke são provenientes da região de Belgard, onde os Kaschuben viveram durante séculos. Isso não quer dizer que os imigrantes pomeranos que aqui chegaram são Kaschubianos, quero ressaltar que o povo pomerano tem influência dos Kaschuben. Como já ressaltado, o Pomerano é profusão/integração cultural de séculos presentes em nosso DNA ancestral.

O ovo gigante da Osterfest de 2023 trouxe uma inusitada arte que chamou a atenção dos visitantes. Mas que traços são os desta arte? Os Kaschuben têm como uma das manifestações culturais os bordados florais com linhas simples e cores vivas. Como um povo geralmente de condições de vida modesta e camponesa, os traços simples trazem essa expressão.

Desafiador encontrar evidências que remetam a esse povo ancestral aqui no Vale do Itajaí. Basicamente conhecemos a questão dos bordados florais, talvez pelo fato de poucos estudos realizados em nossa comunidade. A identidade Pomerana já impõem enorme complexidade para demonstrar a diferença entre alemães e pomeranos por aqui, e a influência Kaschuben é muito mais específica e certamente ficou “perdida” entre as prioridades que se impunham ao chegar em terras brasileiras. Então essa manifestação no ovo é inédita e histórica.

Acredito que muitos não imaginam do quão especial é isso. Relevante destacar a Schwester Anita Günther nesse contexto, engajada na causa pomerana e muito presente na comunidade.
Ela visitou a antiga Pomerânia, fez parte do conselho da Fundação Cultural de Pomerode e tinha um razoável conhecimento sobre o processo de imigração e o povo pomerano. Além disso, a família Günther é de Belgard onda Kaschuben viveram durante séculos. Ela tinha clareza da influência eslava na formação do povo pomerano, e da participação dos Kaschuben neste processo.
Então, o primeiro traje típico oficial do Grupo Folclórico Pomerano foi o KaschubenTracht, destacando os bordados florais.

Eu diria que é uma das únicas evidências deste povo ancestral em terras pomerodenses e toda a região. Por sua vez, a artista Joana Wachholz se inspirou no traje típico Kaschubiano para desenvolver a arte do ovo gigante. Então, temos um ovo gigante no Guinness World Records que traz uma arte ancestral dos Kaschuben, um ovo que é uma manifestação cultural que reflete séculos de conexão. Por sua vez, podemos dizer que de todas as edições já feitas, essa efetivamente tem lastro histórico-cultural com os imigrantes que ocuparam Pomerode e que forjaram nossa identidade cultural.

Veja também

policia-21-02-pces

Polícia Civil prende em flagrante suspeito de homicídio em Conceição de Castelo

policia-21-02-mf

Bicicleta e moto são furtadas e um micro-ônibus é arrombado em bairro de Marechal Floriano

geral-21-02-divulg-sala-empreendedor

Novos serviços da Receita Federal são implementados na Sala do Empreendedor de Marechal Floriano

turismo-21-02-setur

Setur debate avanços no projeto de turismo de cruzeiros no Espírito Santo

saude-21-02-Helio-Filho-Secom

Espírito Santo institui Centro Integrado de Comando e Controle de Arboviroses

mundo-21-02-Thomas-White-UNRWA-via-X

Israel atacou comboio de ajuda alimentícia da ONU em Gaza

mat-paga-21-02-mundo-freepik

A Era de Ouro das Docuseries: Como as séries documentais estão cativando o público em todo o mundo

brasil-21-02-Divulgacao-Prefeitura-do-Rio

Chanceleres do G20 debatem reforma da governança global e crise internacional em encontro no RJ

Últimos artigos de Coluna Pomerana

Relatos, Memórias e Retratos da nossa história – Parte I

Como as mulheres se vestiam no século XIX

Comunidades livres e escolas pomeranas – Parte II

Os pastores, as comunidades livres e as escolas pomeranas em São Lourenço do Sul – Parte I

Vila Neitzel: a maior comunidade pomerana de Minas Gerais