Senadores já gastaram R$ 2,6 milhões com propaganda em 2021

Publicado em 03/11/2021 às 12:51

Compartilhe

103254


source
Senadores já gastaram R$ 2,6 milhões da cota parlamentar para fazer propagandas de suas ações no Congresso
Redação 1Bilhão Educação Financeira

Senadores já gastaram R$ 2,6 milhões da cota parlamentar para fazer propagandas de suas ações no Congresso

Somente em 2021, senadores brasileiros já gastaram R$ 2,6 milhões da cota parlamentar para fazer propagandas de suas ações no Congresso. O valor inclui gastos com manutenção de sites, produção de vídeos, assessoria de imprensa e divulgação de conteúdo em jornais locais. As informações são do colunista do Metrópoles , Guilherme Amado.

Quem lidera o ranking é Davi Alcolumbre (DEM-AM), com R$ 253 mil. Em seguida, vêm Marcos Rogério (DEM-RO), com R$ 158 mil, e Zenaide Maia (PROS-RN), com R$ 149 mil. Entre os mais gastões, também estão Mailza Gomes (PP-AC), com R$ 145 mil, e Telmário Mota (Pros-RR), com R$ 143 mil.

As quantias são referentes ao período entre janeiro e outubro deste ano e podem ser ainda maiores, uma vez que os parlamentares têm até três meses para pedir os reembolsos dos seus gastos.

A cota parlamentar é uma verba a qual deputados e senadores têm direito para cobrir as despesas em função do seu mandato. 

Veja também

© Thais Magalhães/CBF/Direitos Reservados

Seleção feminina encerra temporada com título do Torneio de Manaus

© Samara Miranda/Remo/Direitos Reservados

Copa Verde: Paysandu e Remo empatam em clássico de tempos distintos

© Reuters/Carlos Osorio/Direitos Reservados

Pfizer: 1 milhão de doses chegam ao Brasil hoje

107575

Mega-Sena sorteia R$ 11 milhões nesta quarta; confira as dezenas

107573

EUA têm 10 milhões de vagas, mas não despertam interesse; entenda o porquê

© Edilson Rodrigues/Agência Senado

Plenário do Senado aprova indicação de André Mendonça ao STF

© ONU/Unaids/Divulgação

Atos no Rio marcam Dia Mundial de Luta contra a Aids

© Marcelo Camargo/Agência Brasil

Anvisa defende transparência e cooperação entre agências reguladoras