Silva e Luna diz que Petrobras não é responsável por todos os reajustes

Publicado em 23/11/2021 às 12:21

Compartilhe

106318


source
Silva e Luna diz que Petrobras não é responsável por todos os reajustes
Osni Alves

Silva e Luna diz que Petrobras não é responsável por todos os reajustes

O presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna, negou nesta terça-feira que a estatal seja culpada pelo aumento da gasolina. Segundo ele, empresa fez 15 reajustes  em 2021, mas foram contabilizados 38 reflexos ao consumidor. Ele destacou que a empresa pratica preço de mercado

“Nem todos reajustes que aparecem na bomba de combustíveis  tem a ver com a Petrobras”, afirmou Silva e Luna, em audiência pública na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado (CAE). “A alta de preços dos combustíveis não corresponde à Petrobras e está sendo colocada na conta dela.”

O presidente da Petrobras  apresentou uma tabela afirmando também que, na formação dos preços, a Petrobras teve parcela de R$ 0,99, mas na bomba o valor chegou  R$ 2,24 a mais aos consumidores. Os dados da Agência Nacional de Petróleo (ANP), segundo ele, consideraram apenas os valores superiores a um centavo.

De acordo com a ANP, o valor médio do litro da gasolina  no país passou de R$ 6,753 para R$ 6,752, nas últimas duas semanas. No ano, o avanço do preço médio chega a 50%.

Reação em comissão do Senado

Na audiência, o presidente da Petrobras disse que a estatal ficou sem reajustar o GLP, o gás de cozinha, por 92 dias,  85 dias sem alterar o preço do diesel e 56 o da gasolina. A declaração gerou reação do senador Omar Aziz (PSD-AM).

“O salário do trabalhador brasileiro não é alterado em 90 dias,  como é alterado o preço dos combustíveis  hoje quase que diariamente. É porque se fala como uma ênfase, como se fosse algo  sobrenatural.  Noventa dias é uma brincadeira, como se tivesse fazendo um grande favor aos brasileiros”, disse Aziz.

Leia Também

Para o período entre os dias 14 e 20 de novembro, o preço médio do diesel se manteve estável, em R$ 5,356 por litro.  No ano, o aumento chega a 48,5%.

No GLP, o gás de botijão também teve um leve recuo, passando  de R$ 102,52 para R$ 102,27.  Desde janeiro, a alta é de 37,1%.

Na audiência, Luna e Silva defendeu que a estatal não é um monopólio.

“A  Petrobras tem que atuar como empresa privada, tem que praticar preço de mercado, a aplicação artificial de políticas públicas só pode ocorrer mediante prévio contrato com acionista controlador… no caso de acontecer, a Petrobras tem que ser ressarcida”, explicou o presidente, lembrando que isso ocorreu no governo de Michel Temer.

Também participam da audiência o secretário-executivo do Ministério da Economia, Marcelo Guaranys, e secretário de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do Ministério de Minas e Energia, Rafael Bastos da Silva.

Veja também

© Leonardo Moreira/FEC/Direitos Reservados

Fortaleza se classifica para sua primeira Libertadores

© Marcelo Cortes/Flamengo/Direitos Reservados

Vice-campeão Flamengo empata com rebaixado Sport em Recife

© José Tramontina/athletico.com.br/Direitos Reservados

Athletico-PR derrota Cuiabá na Arena da Baixada e se afasta do Z4

107879

Comissão da Câmara faz audiência na quarta sobre piso para enfermagem

© 28/10/2021_Fernando Frazão/Agência Brasil

Covid-19: estado do Rio está com risco muito baixo pela segunda semana

© Marcello Casal jr/Agência Brasil

Covid-19: Brasil registra 22 milhões de casos e 615,4 mil óbitos

© Carol Morelli/Arquivo Pessoal

Quarteto feminino bate recorde mundial de natação master

107871

Morre Gulliver, primeiro cachorro de William Bonner e Fátima Bernardes