Ricardo Barros diz que PEC dos Precatórios será votada “de qualquer jeito”

Publicado em 08/11/2021 às 12:20

Compartilhe

103872


source
Líder do governo na Câmara, Ricardo Barros garante votação da PEC dos Precatórios nesta terça-feira
Marcelo Camargo/Agência Brasil

Líder do governo na Câmara, Ricardo Barros garante votação da PEC dos Precatórios nesta terça-feira

O líder do governo na Câmara dos Deputados, Ricardo Barros (Progressistas-PR), afirmou que a PEC dos Precatórios será votada nesta terça-feira (09) “de qualquer jeito”. O deputado se diz confiante na aprovação da proposta que abrirá um espaço fiscal no orçamento de 2022 de R$91,6 bilhões.

Segundo o parlamentar, há prazo para aprovar e implementar a proposta. Barros acredita que o partido de oposição não mudarão seus votos para o segundo turno.

“De qualquer forma, temos um prazo para aprovar e implementar. Os parlamentares estão convocados e vamos aprovar”, disse Barros, em entrevista à GloboNews .

Nos bastidores, o governo articula para manter os votos de PDT, PSB, PSDB e MDB, partidos que na votação se posicionaram favoravelmente ao texto, mas há forte resistência de suas bancadas nacionais. Para convencê-los, a tropa de choque do Planalto na Câmara ofereceu valores dentro do orçamento secreto para os parlamentares votarem a favor da proposta no segundo turno. A ideia, no entanto, foi rechaçada pela ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), Rosa Weber, que pediu explicação a mesa diretora da Câmara sobre a disponibilidade dos valores aos parlamentares.

Leia Também

Clientelismo do Bolsa Família

Ricardo Barros afirmou, em entrevista, que o objetivo do Auxílio Brasil é não depender do governo federal a longo prazo. O deputado disse ver “clientelismo do Bolsa Família” para o governo.

“O que o Auxílio Brasil quer é que depois de um tempo não se precise mais do governo, o Bolsa Família era clientelismo do governo”, declarou.

Barros lembrou dos 144 votos contrários a PEC dos Precatórios e adotou o mesmo discurso do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ao dizer que os parlamentares votaram “contra os pobres”.

“A democracia é assim: toda vez que a oposição perde, ela tenta criar um terceiro turno. Querem votar contra os R$ 400 de auxílio, contra socorrer os mais pobres, contra a rampa de ascensão social”, criticou.

Veja também

© Marcelo Camargo/Agência Brasil

Covid-19: país tem 22,1 milhões de casos e 615,5 mil mortes

107939

Subida dos juros deve provocar desaceleração na economia, diz Guedes

© Marcelo Camargo/Agência Brasil

Ministério oferece mais de 21,5 mil vagas para Médicos pelo Brasil

107935

Em relatório preliminar, deputado destina R$ 16,2 bilhões para orçamento secreto

107933

Nova proposta de reforma trabalhista quer proibir motoristas de app na CLT

107931

Pais de autor de massacre em escola de Michigan são presos

107929

Biden e Putin farão reunião sobre tensões na Ucrânia

© Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Brasileiros devem redobrar cuidados no verão contra câncer de pele