Produção industrial cresce 6,2% no Espírito Santo

Publicado em 16/06/2024 às 12:49

Compartilhe

producao-industrial

Os resultados positivos da indústria capixaba continuam impulsionando a economia do estado. No acumulado de janeiro a abril, comparado com o mesmo período de 2023, a produção industrial do Espírito Santo cresceu 6,2%, impulsionada pelo bom desempenho das atividades extrativa (8,3%) e de transformação (2,2%). 

O Espírito Santo teve um resultado acima do nacional nos primeiro quatro meses do ano. De janeiro a abril a indústria nacional cresceu 3,6%. Os dados foram compilados pelo Observatório da Indústria da Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes) e fazem parte da pesquisa de Produção Industrial Mensal (PIM-PF) do IBGE, divulgada nesta sexta-feira (14). 

De acordo com a análise do Observatório da Findes, o bom desempenho da indústria extrativa pode ser explicado pelo aumento de extração de petróleo e gás natural e pelo crescimento da atividade de pelotização do minério de ferro.

O presidente em exercício da Findes, Paulo Baraona, destaca que a atuação das petroleiras independentes no Estado, a partir da política de desinvestimentos de ativos da Petrobras, é um dos motivos que explica o avanço do setor de petróleo e gás. “Temos visto no Espírito Santo uma recuperação importante na produção de óleo e gás. E, temos acompanhado de perto, por meio do Fórum Capixaba de Petróleo, Gás e Energia, essa atuação das companhias menores, tanto com produção em terra, quanto em mar”, aponta.

No primeiro quadrimestre do ano, o Estado produziu uma média de 176,3 mil barris por dia. O valor é 11,4% maior do que o registrado no mesmo período do ano passado, de acordo com os dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP). 

A gerente executiva do Observatório da Indústria e economista-chefe da Findes, Marília Silva, aponta outro indicador importante para o setor é com relação ao gás natural. “De janeiro a abril, o Espírito Santo alcançou a marca de 4,6 milhões de metros cúbicos de produção de gás por dia, o que representou um crescimento de 22,2% em comparação ao mesmo período de 2023. Isso mostra um grande avanço em relação ao ano anterior”, disse.   

A produção de minério de ferro pelotizado também impulsionou positivamente a indústria extrativa. Segundo o último relatório trimestral da Vale, a sua produção cresceu 3,9% quando comparado ao mesmo período de 2023. Já a Samarco apresentou um aumento de 12% em sua produção no primeiro trimestre de 2024. 

A pesquisa do IBGE também mostrou que a indústria de transformação cresceu. De janeiro a abril, comparado com o mesmo período de 2023, a alta foi de 2,2%. O resultado foi positivamente influenciado pelas atividades da metalurgia (4,9%), da fabricação de produtos alimentícios (2,6%) e da fabricação de produtos de minerais não metálicos (2,6%). Já a indústria de papel e celulose recuou 5,4%.

Marília comenta que é esperada uma continuação do desempenho positivo do setor da metalurgia. “Vemos uma melhora no cenário nacional, com aumentos no consumo e nas vendas. Contudo, não podemos deixar de mencionar que as importações de produtos derivados do aço continuam elevadas, com participação significativa dos produtos chineses”, pontua a economista. 

PERSPECTIVAS PARA 2024 – Segundo dados do Indicador de Atividade Econômica (IAE-Findes), divulgado na última quarta-feira (12), o ano de 2024 deve ser positivo para a economia capixaba, com previsão de alta de 3,4%, sendo a indústria a principal responsável por impulsionar o PIB local.

O crescimento projetado para o setor, neste ano, é de 8,8%, seguido pela agropecuária (3,2%) e serviços e comércio (2,9%). Vale lembrar que o Espírito Santo é o segundo estado mais industrializado do Brasil.

A economista-chefe da Findes, Marília Silva, explica que o aumento do rendimento do trabalhador, os estímulos via programas governamentais e liberações dos precatórios agendadas para esse ano estão contribuindo positivamente para o resultado a nível estadual e nacional. A Confederação Nacional da Indústria (CNI) projeta que a economia brasileira terá alta de 2,4% neste ano, já o PIB industrial deve crescer 2,01%.

Apesar do cenário otimista, Marília lembra que alguns desafios da indústria estão atrelados a condução da política monetária nacional. “Mesmo com a expectativa de mais um corte da taxa Selic, que é a taxa básica de juros da economia, neste ano, ela continuará elevada. O Relatório Focus aponta para uma redução de apenas 0,25 p.p, na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom). Atualmente ela está no patamar de 10,5% ao ano. Para além disso ainda temos a regulamentação da reforma tributária e a realização de uma reforma administrativa”, comenta.  

No mês de abril de 2024, comparado com mesmo mês do ano passado, a produção industrial capixaba também teve bom desempenho (8,2%), puxada tanto pelo aumento de 10,3% na indústria extrativa, quanto pelo avanço de 4,3% da indústria de transformação. 

Texto: Lorena Zanon/Findes

Veja também

geral-15-07-ft-Renan-Louzada-incendio-pedra-azul

Incêndio em Pedra Azul é combatido por equipes dos bombeiros

centro-cirurgico

Centro Cirúrgico 2.0: projeto para otimizar processos e garantir agilidade a quem precisa de cirurgia pelo SUS capixaba

ministerio-da-saude

Ministério da Saúde já realizou mais de 2.600 atendimentos à estados e municípios

selo-artesanal

Curso sobre Selos de Identificação Artesanal será realizado em julho

Em-apenas-7-meses-Mapa-alcanca-recorde-anual-de-aberturas-de-mercado

Em apenas 7 meses, Mapa alcança recorde anual de aberturas de mercado

pao-e-produto-alcoolico

Marcas de pão de forma deveriam ter alerta de produto alcoólico

qualificacao-de-turismo

Programa de Qualificação para o Turismo oferece novas oportunidades

inscricao-para-nossa-bolsa

Governo do Estado divulga lista com suplentes às vagas oferecidas pelo Programa Nossa Bolsa 2024/02