Produção e consumo de alimentos é tema de debates em Vitória e Venda Nova do Imigrante

Publicado em 02/08/2017 às 18:02

Compartilhe

Quantas vezes você já se perguntou de onde vem o feijão que você consome? Quantos quilômetros a maçã percorreu até chegar à sua mesa? Quais os impactos ambientais que a produção da sua salada gerou nos leitos dos rios? Como sua saúde é afetada pela forma de produzir e distribuir alimentos? Esses e outros temas relacionados à produção e consumo de alimentos na atualidade serão alvo de discussão no debate sobre redes agroalimentares e sustentabilidade.

debate em venda nova do imigranteO evento ocorrerá no dia 10 de agosto, às 13 horas, no auditório do IC II, no Centro de Ciências Humanas e Naturais (CCHN) da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), em Vitória (ES). Na ocasião, participarão do debate o professor do Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Rural da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Sérgio Schneider e o professor do Programa de Pós-Graduação de Ciências Sociais da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) André Michelato.

Ao final do evento, ocorrerá o lançamento do livro “Cadeias curtas e redes agroalimentares alternativas: negócios e mercados da agricultura familiar”, organizado pelos professores Márcio Gazolla e Sérgio Schneider e publicado pela editora da UFRGS. Haverá venda de exemplares no local.

Dentro dessa temática, no dia 11 de agosto, ocorrerá outra atividade: um debate sobre “O papel dos atores locais na construção de mercados alternativos”. Esse evento, que ocorrerá às 15 horas, no auditório do Centro de Referência em Assistência Social (CRAS), em Venda Nova do Imigrante, contará com a presença do professor Sérgio Schneider. Nesse mesmo dia, no período da manhã, serão realizadas visitas técnicas a estabelecimentos rurais nesse município.

Essas atividades são uma realização do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), Vice-governadoria do Estado e Secretaria de Estado da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag).

Redes agroalimentares e sustentabilidade

Segundo a doutora em desenvolvimento rural e extensionista do Incaper Célia Jaqueline Sanz Rodriguez, o sistema agroalimentar vai desde a produção e transformação, até a distribuição e consumo dos alimentos. “No evento, serão problematizadas as cadeias agroalimentares longas, que se caracterizam pela extensa distância entre produtores e consumidores finais, de modo que há perda de interação entre esses dois atores sociais. Como efeitos, podemos destacar impactos ambientais, econômicos e na saúde humana”.

Ela também explicou que, na ocasião, serão abordadas as cadeias curtas, que promovem a interação dos agricultores com os consumidores, o que contribui para diminuir esses impactos. “Isso significa, na prática, que o consumidor reconhece o que está consumindo, passando a valorizar a forma como os alimentos são produzidos e processados”, disse a extensionista.

Do ponto de vista das inovações, a discussão em torno das cadeias curtas têm provido a visibilidade e o fortalecimento de redes que envolvem agricultores, consumidores e o próprio Estado. Novos mercados são construídos, redes sociais intensificadas e muitos territórios são valorizados a partir de estratégias de encurtamento e disponibilização de alimentos específicos.

“Esse debate é atual e vem despertando atenção de pesquisadores, gestores e mediadores e consumidores do mundo todo. Muitas experiências estão sendo protagonizadas por atores locais, com diferentes arranjos institucionais e espalhadas por várias regiões e municípios do Estado. Essa discussão acadêmica é importante para poder reconhecer ou refutar sua validade e pensar em propor ações de acordo com nossa realidade. O debate nos instiga a pensar sobre a origem e o impacto dos alimentos que produzimos e consumimos”, finalizou Jaqueline.

Currículo dos palestrantes

Sérgio Schneider é pós-doutor no Institut of City and Regional Planning, na Cardiff University/Wales/UK, com Terry Marsden e doutor em Sociologia (UFRGS/Université Paris X). Atualmente, é vice-presidente da Associação Latino-Americana de Sociologia Rural e professor do Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Rural da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Seus principais temas de pesquisa são agricultura familiar, alimentação, diferenciação social e econômica no meio rural, pluriatividade, políticas públicas, desenvolvimento rural territorial, cadeias alimentares curtas, consumo alimentar, políticas de abastecimento e sistemas agroalimentares.

André Michelato é Doutor em Sociologia pela Universidade Federal do Paraná (2010). Atua como professor do curso de Ciências Sociais da Ufes, com foco nas áreas de Sociologia Rural e Ambiental. Desenvolve projetos de pesquisa e extensão em parceria com organizações camponesas.

Serviço

Redes agroalimentares e sustentabilidade na sociedade atual: produção e consumo em debate
Data: 10/08/2017 (quinta-feira)
Horário: 13h
Local: Auditório do IC II – Centro de Ciências Humanas e Naturais (CCHN) – Universidade Federal do Espírito Santo – Campus de Goiabeiras, Vitória, ES.

O papel dos atores locais na construção de mercados alternativos
Data: 11/08/2017 (sexta-feira)
Horário: 15h
Local: Auditório do Centro de Referência em Assistência Social (CRAS) – Rua Pedro Altoé, 84, Vila da Mata, Venda Nova do Imigrante (ES).

Venda do Livro

Livro: Cadeias curtas e redes agroalimentares alternativas: negócios e mercados da agricultura familiar. Organização: Márcio Gazolla e Sérgio Schneider. Editora UFRGS.
Valor: R$ 40

Veja também

fungo-se-adapta-ao-calor-corporal

Fungos estão se adaptando ao calor corporal, diz estudo

dia-de-sol-22-11-freepik

Veja a previsão do tempo de hoje (22/07/2024)

onda-de-calor

Ondas de calor e veranicos: Diferenças, impactos e cuidados

cafeicultura-sustentaavel

Cafeicultura sustentável torna Seguro Rural mais barato

exportacao-de-abacate

Capixaba exporta abacate para a Argentina

Programa-Retomada-de-Obras-da-Saude

Ministério facilita a entrega de documentação para o Programa Retomada de Obras da Saúde

producao-de-mudas-in-vitro

Saiba como é a produção de mudas in vitro

62-dos-navios-para-exportacao-de-cafe-registram-atrasos-em-junho

62% dos navios para exportação de café registram atrasos em junho