Pelo segundo mês seguido, Petrobras não suprirá demanda de combustíveis

Publicado em 23/11/2021 às 20:21

Compartilhe

106408


source
Esse é o segundo mês seguido que a Petrobras não cumprirá entrega de combustíveis
Sophia Bernardes

Esse é o segundo mês seguido que a Petrobras não cumprirá entrega de combustíveis

A Petrobras não vai conseguir atender a todos os pedidos de gasolina e diesel feitos pelas distribuidoras de combustíveis para o mês de dezembro. Será  o segundo mês seguido que a estatal não consegue atender a demanda.

Segundo duas fontes do setor, o aumento médio nos pedidos das distribuidoras foi de 15% em relação ao mesmo período do ano passado.

Procurada, a estatal disse que “assim como no mês de novembro, os pedidos de diesel encaminhados pelas distribuidoras para o mês de dezembro foram atípicos e superiores ao esperado para este período”.

Já a Brasilcom, federação que reúne as distribuidoras, disse que a Petobras “realizou cortes tanto em diesel como em gasolina”. Os contratos feitos pela Petrobras prevê o fornecimento às distribuidoras de um volume com base numa média dos últimos três meses, com pequenas margens para cima ou baixo.

Leia Também

“Soubemos que diversas empresas tiveram cortes em seus pedidos, tanto de gasolina como de diesel, sendo alguns cortes bastante significativos, principalmente no diesel”, destacou a Brasilcom em nota.

O não atendimento pela Petrobras ocorre em um momento de alta no consumo com a abertura da economia. No acumulado dos dez primeiros meses deste ano, as vendas de gasolina e diesel crescem cerca de 20% em relação ao mesmo período do ano passado.

A Petrobras disse que, após avaliação de disponibilidade, considerando sua capacidade de produção e oferta, o volume aceito foi inferior aos pedidos recebidos. A estatal voltou a dizer que há dezenas de empresas cadastradas na Agência Nacional do Petróleo (ANP) aptas para importação de combustíveis.

Operando com 87% de sua capacidade de refino, a Petrobras vem elevando as importações de derivados. Nos nove primeiros meses do ano, o avanço chegou a 86,3% ante ano passado.

Em nota, a Agência Nacional do Petróleo (ANP) disse que “o acompanhamento junto aos agentes regulados, em especial às distribuidoras e aos postos revendedores, não indica falta de combustível, até o momento”. Caso o recebimento dos dados de comercialização indique elevação dos riscos, a ANP disse que “adotará as medidas cabíveis para minimizar os eventuais impactos no abastecimento”.

Veja também

Acidente km 43

Seis feridos em acidente envolvendo dois carros de passeio na BR-262

108010

‘Passaporte da vacina’: no 1º domingo, poucos restaurantes cobram comprovante

© Fernando Frazão/Agência Brasil

Covid-19: Brasil registra 22,1 milhões de casos e 615,6 mil mortes

© Pedro Souza/Atletico

Bahia respira, Grêmio agoniza e Atlético-MG faz a festa com a torcida

108004

Paulo Guedes define nomes para reestruturação do Ministério da Economia

108000

EUA: Memorial em homenagem a Anne Frank é vandalizado com suásticas

107998

Petrobras vai reduzir preço dos combustíveis esta semana, diz Bolsonaro

107993

Maduro é retratado como super herói em desenho de TV estatal na Venezuela