Moradora de Domingos Martins sofre e sangra à espera de uma cirurgia

Publicado em 28/09/2021 às 20:00

Compartilhe

Geania

Texto: Julio Huber / Fotos: Divulgação e Julio Huber

Há mais de três meses com hemorragia devido a cistos no útero e nas trompas, Geania Cordeiro dos Santos Emenes, moradora de Santa Isabel, em Domingos Martins, aguarda angustiada a marcação de uma cirurgia. Até a publicação desta matéria, ela ainda não sabia quando será operada. Geania conta que esse problema de saúde causa muita dor e sangramento.

“Acho um descaso muito grande. Nós pagamos tantos impostos e na hora que precisamos, não temos ajuda. Tivemos que fazer uma vaquinha para fazer os exames particulares para agilizar a cirurgia, mas agora me deram um papel para eu entregar no ‘postinho’ para eles lançarem no sistema e esperar para ver quando sai uma vaga. O hospital referência, de Domingos Martins, não tem banco de sangue para fazer essa cirurgia. Aí eu pergunto: vão me deixar assim até quando? Será que vou sangrar até morrer?”, questiona revoltada a moradora.

Geania contou que o médico Manoel Barcelos, que morreu no último dia 16, vítima de Covid-19, estava acompanhando o seu tratamento. “Dr. Manoel disse que meu caso é cirúrgico e teria que ser feito com urgência, mas infelizmente ele não está mais entre nós. Já estou muito anêmica, tive que comprar cinco ampolas de Noripurum para tomar na veia e já não consigo fazer nada porque só fico deitada de dor e fraqueza. Não saio de casa a não ser para ir ao médico porque tenho medo sangrar. Será que não tem ninguém para me ajudar?”, apela.

Muito emocionada, Geania disse que está tomando remédio para pressão alta, sem antes ter sofrido de hipertensão. Ela contou que na última vez que foi até o Hospital e Maternidade Dr. Arthur Gerhardt (HMAG), em Domingos Martins, foi orientada a procurar o sistema de saúde do município. “Estou esperando eles me chamarem para a cirurgia. Eu ligo, e ninguém tem informação”, contou.

Desesperada em busca de um atendimento médico, Geania recorreu a um hospital público em Vitória, mas também não teve o atendimento realizado. “Eu levanto para ir ao banheiro me arrastando, de tanto que dói. Ninguém faz nada por mim. Eu estou doente e não aguento mais. Sinto dor 24 horas. Estou depressiva e sem saber o que fazer”, disse chorando.

Ela comentou, ainda, que outro médico que a consultou recentemente reafirmou que o caso é de urgência e que o hospital de Domingos Martins não estava realizando esse tipo de cirurgia.

Hospital orienta paciente a procurar a Prefeitura

O administrador interino do Hospital e Maternidade Dr. Arthur Gerhardt (HMAG), Nelcimar Guarino Bastos, está à frente da gestão do HMAG. Ele foi nomeado em outubro de 2018 pelo Ministério Público do Espírito Santo, após a diretoria da Fundação Hospitalar e de Assistência Social de Domingos Martins (Fhasdomar) renunciar. Durante a pandemia, após o término da intervenção judicial, ele foi mantido como administrador interino pela Assembleia Geral da que é a mantenedora do HMAG.

Respondendo em nome do HMAG, Nelcimar explicou que o hospital nunca teve banco de sangue, por ser “uma estrutura que requer outro tipo de investimento, autorização e fiscalização dos órgãos competentes”. Ele informou que o HMAG possui uma agência transfusional, que é regulada e fiscalizada pela Vigilância Sanitária e que pode armazenar sangue.

“Em função da pandemia e atendendo a portarias da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que regulamenta tais agências, em 2020 foram estabelecidos novos critérios para o funcionamento dessas agências a nível de Brasil. Assim, a VISA (Vigilância Sanitária Estadual) notificou todos os hospitais para que promovessem as adequações necessárias. Enquanto isso, suspendeu o funcionamento das mesmas. Isso ocorreu com a agência do HMAG”, informou o administrador interino.

Desde que foram exigidas adequações, o que segundo Nelcimar ocorreu em 2020, apenas na última semana é que o hospital teve o aval para voltar a funcionar com a agência transfusional. “Fizemos todas as adequações necessárias e estávamos aguardando a liberação da VISA, o que ocorreu somente na sexta-feira (17/09), faltando apenas a visita técnica dos fiscais”, disse.

Nelcimar garantiu que as cirurgias voltarão a ser realizadas nos próximos dias

O representante do HMAG informou que já teve uma reunião com a Secretária de Saúde do município para que seja priorizado o maior volume de cirurgias a partir desta semana. “O volume de cirurgias eletivas no município também se acumulou tendo em vista as mesmas terem ficado suspensas por causa da pandemia por aproximadamente um ano e meio”, argumentou.

Nelcimar falou que estão sendo realizadas no hospital apenas as cirurgias de urgência que não dependem da agência transfusional. “A partir do momento em que o HMAG for autorizado a voltar com as cirurgias, os médicos que irão priorizar esses procedimentos”, destacou.

Ele ainda comentou sobre o caso da paciente Geania. “O agendamento, neste caso, sempre será feito pela Prefeitura. Por isso encaminharam a paciente para o posto. Em caso de urgência, estando ela em uma crise, poderá procurar o pronto socorro do HMAG e o médico de plantão que atender poderá realizar a cirurgia de imediato”, afirmou.

Atualmente, conforme Nelcimar, há no hospital um cirurgião de sobreaviso, dois clínicos gerais no pronto socorro em sistema de 24 horas, um clínico geral por 12 horas, um pediatra 12 horas atendendo no pronto socorro, um pediatra na maternidade por 24horas, um obstetra de sobreaviso por 24 horas e uma anestesista também de sobreaviso. O sistema de sobreaviso é quando o profissional não precisa permanecer no hospital, mas deverá comparecer em caso de necessidade de sua presença.

Prefeitura confirma informações do hospital

Em nota, a assessoria de imprensa da Prefeitura de Domingos Martins informou que a agência transfusional do Hospital e Maternidade Dr. Arthur Gerhardt não havia sido liberada pela Vigilância Sanitária Estadual para receber bolsas de sangue. Por isso, alguns tipos cirurgias tiveram que ser suspensas.

“No entanto, o hospital está buscando se adequar às normas necessárias e receberá em breve uma visita da agência estadual para voltar a receber as bolsas de sangue e, consequentemente, normalizar a disponibilização de cirurgias”, informou.

Cirurgia está autorizada pelo Estado

A assessoria de imprensa da Secretaria de Estado de Saúde informou que o Núcleo Especial de Regulação em Consultas e Exames confirmou que “a solicitação da paciente Geania Cordeiro está autorizada e será agendada nos próximos dias. O acompanhamento da solicitação é feito pela Unidade de Saúde onde ela é assistida”.

Assunto é debatido no Bate-Papo com o Montanhas

O caso da moradora Geania Cordeiro e a atual situação do Hospital e Maternidade Dr. Arthur Gerhardt (HMAG) foram temas da edição 14 do Bate-Papo com o Montanhas, que é realizado semanalmente pelos representantes do portal Montanhas Capixabas, Evandro Albani, Julio Huber e Sidney Dalvi. Clique abaixo e assista ao vídeo.

Veja também

Palio-atinge-caminhonete-em-trevo-da-BR-262-e-foge-do-local-do-acidente

Pálio atinge caminhonete em trevo da BR-262 e foge do local do acidente

112964

EUA recomendam que população use “máscara mais protetora possível”

112962

Pitbull faz “birra” toda vez que escuta uma bronca

© José Cruz/Agência Brasil

Covid-19: Rio de Janeiro começa vacinação de crianças nesta segunda

112957

Covid-19: Áustria terá vacinação obrigatória a partir de fevereiro

© Alex Sandro/TV Brasil

Brasil recebe segunda remessa de vacina pediátrica da Pfizer

112953

Lira diz que Senado deve ser cobrado por nova alta de combustíveis

© Marcelo Camargo/Agência Brasil

Síndrome de Burnout é reconhecida como fenômeno ocupacional pela OMS