Lixo continua sendo depositado no chão de local público em Marechal Floriano

Publicado em 13/04/2021 às 12:54

Compartilhe

Cerca de seis meses após a retirada da caixa depositária de lixo na Praça Santa Rita, onde há uma placa de estacionamento para motoristas idosos, parte dos moradores continua dispensando no chão, ao lado da calçada, os restos de suas residências, sendo que há uma lixeira próxima ao local.

Um dos moradores que solicitou a retirada do ‘caixote’ de lixo, foi o comerciante Vicente Marques, que na ocasião observou as filas de pessoas idosas e senhoras com dificuldade de se manterem com crianças para chegarem até as agências bancárias. “Fui favorável à mudança de local, assim como dezenas de outros moradores”, disse o comerciante, na ocasião.

Para o comerciário William, a municipalidade agiu com seriedade no momento que foi solicitada para remover a caixa de lixo e colocá-la em local menos movimentado. “Aqui em frente à agência há um estacionamento para motoristas idosos e o odor da caixa os atrapalha, e por isso, solicitamos a modificação de local e a Prefeitura nos atendeu”, disse.

O secretário de Obras e Serviços Urbanos, Antônio Malini, afirmou que atendeu os moradores na ocasião, separando em pelo menos 30 metros a caixa da placa de estacionamento de idosos e de uma agência bancária, farmácias e outros estabelecimentos. “Ouvimos as pessoas na ocasião e muitos se mostraram favoráveis, mas agora, parte do lixo vai para o piso da rua”, lamentou.

Veja também

© Reuters/Eric Seals/Direitos reservados

Anvisa pede inclusão de eventos adversos na bula da vacina da Janssen

96650

46 milhões de lares não têm renda do trabalho no Brasil, diz Ipea

96648

Pix: Itaú, Bradesco e BB cobram até R$ 150 de clientes PJ; veja tarifas

WhatsApp-Image-2021-09-17-at-15.26.05

Médico Dr. Manoel Barcelos é sepultado hoje e filha faz depoimento emocionado

96640

Mulher encontra dedo humano dentro de lanche na Bolívia: “mastiguei”

96638

Bolsonaro aumenta o IOF até dezembro; veja como isso afeta os investimentos

© Geovana Albuquerque/Agência Saúde

Fiocruz avalia efetividade da CoronaVac, AstraZeneca e Pfizer

96634

Represas já operam com nível abaixo do pré-apagão