Governador defende criação de Planos Estaduais para redução das emissões de carbono

Publicado em 02/11/2021 às 16:58

Compartilhe

20211102_143846

Texto: Governo ES / Foto: Giovani Pagotto

O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, vai indicar aos estados que fazem parte do Consórcio Brasil Verde a criação de Planos Estaduais de Redução das Emissões de Carbono. A fala foi feita nesta terça-feira(02) durante o evento #Time4MultilevelAction na América Latina e Caribe, neste segundo dia de participação na 26° Conferência das Nações Unidas para a Mudança Climática (COP-26), que acontece em Glasgow, na Escócia.

De acordo com Casagrande, a ideia é trabalhar para que o tema seja debatido e tratado como prioridade entre os entes participantes do Consórcio Brasil Verde. Até o momento, 22 estados aderiram ao consórcio, que é presidido pelo capixaba. O governador afirmou que o Espírito Santo já prepara o seu Plano Estadual de Redução das Emissões de Carbono e está à disposição dos demais estados para auxiliar na elaboração dos documentos.

Para o governador capixaba, a criação dos planos é fundamental para que os Estados ajudem o País a atingir as metas de redução de carbono. “A falta de ação do Governo Federal fez com que os governadores pudessem abrir esse diálogo e a agir. Muitos Estados assumiram o compromisso de neutralizar as emissões de carbono e estamos incentivando os governadores a criarem esses planos em seus Estados. Desta forma, teríamos metas em cada local para ajudarmos o País a atingir essas metas traçadas”, pontuou.

O evento #Time4MultilevelAction engloba governadores e prefeitos de regiões e cidades da América Latina e do Caribe, com objetivo de identificar estratégias de ação multinível (mais de um nível de governo). A ideia central é que os entes subnacionais possam estar em sintonia para que os governos federais possam ter estratégias na mesma direção para que as metas de baixo carbono sejam atingidas.

O primeiro bloco foi dedicado ao “Financiamento multinível subnacional e local: ação climática”, explorando as demandas e oportunidades relacionadas ao financiamento do clima em âmbito local e regional dos governos da América Latina e do Caribe. O segundo bloco, que contou com a participação do governador Casagrande, foi sobre a “Ação multinível em baixo carbono e políticas”, que abordou as prioridades dos governos subnacionais e locais para se engajar no caminho global para limitar o global aquecimento para 1,5º C e a urgência em proteger ecossistemas e comunidades dos riscos relacionados ao clima.

Participaram ainda a prefeita de Montevidéu (Uruguai), Carolina Cosse; o prefeito de Manizales (Colômbia), Carlos Marín; o prefeito de Kingston (Jamaica), Delroy Williams; prefeito de San Rafael Heredia (Costa Rica), Verny Valerio; o gerente ambiental da cidade de Tegucigalpa (Honduras), Jonathan Lainez; o secretário de meio ambiente de Porto Alegre-RS, Germano Bremm; e a secretária de meio ambiente do Estado de Guanajuato (México), María Isabel Ortiz.

O painel com o governador capixaba teve as presenças do governador do Estado de Yucatan (México), Mauricio Vila; do prefeito de Salvador-BA, Bruno Reis; do prefeito de La Estrella (Colômbia), Juan Sebastián; do secretário de meio ambiente e agricultura da cidade de Envigado (Colômbia), Nicolas Arenas; e do diretor geral da área metropolitana de Aburrá Valle (Colômbia), Juan David Palacio.

Veja também

© Washington Alves/COB/Direitos Reservados

Basquete: Brasil derrota Chile nas Eliminatórias da Copa do Mundo

© Marcello Casal JrAgência Brasil

Covid-19: ministro anuncia proibição de voos oriundos de seis países

© Felipe Oliveira/EC Bahia/Direitos Reservados

Brasileiro: Bahia derrota Grêmio por 3 a 1 e deixa Z4

© Marcelo Camargo/Agência Brasil

Não há casos da nova variante identificados no Brasil, diz ministério

© Fernando Brito/MS

Fiocruz pede inclusão de BioManguinhos como produtor de IFA nacional

106933

Chineses ignoram governo e usam criptomoedas para mandar dinheiro para o Japão

106931

INSS: Normas temporárias para concessão de auxílio é constitucional, decide STF

106929

Campos Neto diz que inflação vai melhorar a partir de 2022