Elon Musk atinge US$ 200 bi em fortuna e volta a ser o homem mais rico do mundo

Publicado em 28/09/2021 às 14:50

Compartilhe

98012


source
Musk faturou US$ 3,8 bilhões na segunda-feira (27)
Criptofácil

Musk faturou US$ 3,8 bilhões na segunda-feira (27)

O empresário Elon Musk voltou a liderar o ranking dos mais ricos do mundo e atingiu a marca de US$ 200 bilhões em patrimônio. Os dados foram divulgados pela revista Forbes nesta terça-feira (28).

Segundo o levantamento, Musk faturou US$ 3,8 bilhões apenas na segunda-feira (27) e encerrou o dia com US$ 203,4 bilhões de fortuna. Jeff Bezos, dono da Amazon e líder do ranking até então, possui fortuna de US$ 197,7 bilhões.

Elon Musk é a terceira pessoa no mundo a ultrapassar a marca de US$ 200 bilhões em patrimônio. O primeiro foi Jeff Bezos, em agosto de 2020, seguido por Bernard Arnauld, proprietário da Louis Vuitton.

Volta a liderança

O dono da Tesla voltou a liderança após ficar alguns dias à frente de Bezos em janeiro deste ano. Na época, o empresário, que possui 20% das ações da montadora, faturou após a empresa comprar Bitcoins e aceitar a compra de veículos com a criptomoeda. A medida fez o valor da moeda digital disparar e aumentou a procura pela modalidade de investimento.

Musk ainda é dono da Space X, empresa aeroespacial avaliada em US$ 74 bilhões e que voltou ao cenário internacional após promover a primeira viagem ao espaço com duração de três dias apenas com civis.

Veja também

Palio-atinge-caminhonete-em-trevo-da-BR-262-e-foge-do-local-do-acidente

Pálio atinge caminhonete em trevo da BR-262 e foge do local do acidente

112964

EUA recomendam que população use “máscara mais protetora possível”

112962

Pitbull faz “birra” toda vez que escuta uma bronca

© José Cruz/Agência Brasil

Covid-19: Rio de Janeiro começa vacinação de crianças nesta segunda

112957

Covid-19: Áustria terá vacinação obrigatória a partir de fevereiro

© Alex Sandro/TV Brasil

Brasil recebe segunda remessa de vacina pediátrica da Pfizer

112953

Lira diz que Senado deve ser cobrado por nova alta de combustíveis

© Marcelo Camargo/Agência Brasil

Síndrome de Burnout é reconhecida como fenômeno ocupacional pela OMS