Descendentes de italianos vão reviver a chegada dos imigrantes ao Espírito Santo

Publicado em 16/02/2024 às 14:01

Compartilhe

cultura-16-02-arquivo-montanhas

O Brasil é atualmente o segundo país com o maior número de descendentes de italianos do mundo cerca de 30 milhões) e a maioria deles está nas regiões Sul e Sudeste. O Espírito Santo foi a principal porta de entrada deles para o Brasil e, por isso, será palco de uma grande comemoração dos 150 anos da Imigração Italiana.

Na manhã deste sábado (17), descendentes de italianos de diversos municípios capixabas, como Venda Nova do Imigrante, Santa Teresa, Marechal Floriano, Domingos Martins, Aracruz e diversas outras cidades capixabas, darão início às comemorações dos 150 anos da imigração italiana no Brasil.

Vestidos à caráter, os descendentes transformarão Vitória em uma vila italiana. E como toda boa festa italiana, a celebração será longa. A programação contará com diversos eventos ao longo de todo ano. Amanhã haverá uma emocionante encenação dos momentos que marcaram a chegada da primeira grande leva de imigrantes ao país. Foi nessa mesma data, em 1874, que o veleiro La Sofia desembarcou na baía da capital capixaba pela manhã, trazendo 388 pessoas.

A emoção de reviver o passado

A emoção será marcante, com a presença de milhares de parentes de pessoas que pisaram aqui em busca de uma vida melhor. Comunidades de descendentes espalhadas por todo o Estado estão sendo convidadas para participarem do momento.

A participação no evento é gratuita e não carece de inscrição prévia. Um grupo representando as primeiras 80 famílias que por aqui chegaram, terá a oportunidade de se vestir como seus antepassados, embarcar pela Praça do Papa para participar de um cortejo marítimo com a presença de muitos barcos e desembarcar no Porto de Vitória.

A programação também contará com a caminhada de todas as famílias pela escadaria Bárbara Lindenberg, passando pelo Palácio Anchieta para chegar à Catedral Metropolitana de Vitória, onde será celebrada uma missa em italiano.

Todo o trajeto terá a presença de bandas, grupos de dança e grupos folclóricos espalhados pela região, para fazer uma festa com a alegria e animação típicas do povo italiano.

“Os grupos de cultura italiana de várias partes do Estado já estão mobilizados para virem fazer uma grande festa, do jeito que a gente gosta”, destacou Rosa Maioli, presidente da Comunità Italiana, entidade cultural que organiza o evento.

Festa típica

Após a encenação e cortejos, os diversos grupos comunitários e culturais se reunirão ao lado da Catedral Metropolitana para o início da tavolata, o Tombo da Polenta e a degustação de comidas típicas.

Estão confirmados vários grupos folclóricos de dança, corais e bandas, que farão uma verdadeira festa da cultura italiana.

Conheça um pouco da história da imigração italiana para o Espírito Santo

Na década de 1850, Pietro Tabacchi, por conta de dívidas e motivações políticas, emigrou do Trento para o Espírito Santo, onde adquiriu uma propriedade, em Santa Cruz (Aracruz): a Fazenda das Palmas. Em 1871, ele pediu autorização ao Governo do Brasil para trazer imigrantes para a sua propriedade.

A chegada da Expedição Tabacchi, em 17 fevereiro de 1874, no Espírito Santo, inaugurou a emigração em massa de italianos para o Brasil. Eram 386 camponeses, um padre e um médico, na embarcação a vela, La Sofia. A partir do ano seguinte, também as províncias do Sul brasileiro passaram a receber navios com centenas de imigrantes da Itália.

Foram 45 dias de viagem de Gênova até Vitória. Era inverno na Itália e verão no Brasil. Por dois dias o La Sofia enfrentou uma forte tempestade que quase o fez afundar. O navio partiu em 3 de janeiro do Porto de Gênova, chega em 17 de fevereiro, pela manhã, à Baía de Vitória, quatro dias depois há o desembarque no Porto de Vitória e em 1 de março o grupo parte para Santa Cruz (Aracruz).

Dos 386 camponeses da Expedição Tabacchi, 145 permaneceram no Espírito Santo. Os outros 240 pediram transferência para outras províncias do Brasil.

FONTE: O livro Colônias Imperiais na Terra do Café, de Renzo M. Grosselli, publicado originalmente em italiano, é a principal fonte que trata sobre a Expedição Tabacchi. Também estão disponíveis documentos do Arquivo Público do Estado do Espírito Santo.

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO

17 de fevereiro de 2024 – A participação no evento é gratuita e não carece de inscrição prévia

  • 6h às 7h- Recepção das comitivas – Praça do Papa
  • 7h às 7h30- Concentração – Início do cortejo para o Embarque dos Imigrantes
  • 8h- Chamada para o Embarque dos Imigrantes
  • 8h30- Partida do Navio- Cortejo Marítimo – Local: Estação do Aquaviário na Praça do Papa
  • 9h- Desembarque dos Imigrantes no Porto de Vitória
  • 9h30- Caminhada dos Imigrantes para a Catedral Metropolitana – (subida pela escadaria Bárbara Lindenberg- Palácio Anchieta)
  • 10h- Missa Polifônica Italiana- Coro das 100 vozes – Local: Catedral Metropolitana de Vitória
  • 12h- Início dos festejos e das atrações culturais – Local: ao lado da Catedral Metropolitana de Vitória

Fonte: Marcus Vieira/Assessoria de Imprensa/ Foto: Arquivo/Montanhas Capixabas

Veja também

mundo-24-04-ft-JIM-WATSON

EUA promete enviar ajuda militar à Ucrânia nas próximas horas

politica-24-04-freepik-arma

Projeto quer estabelecer multa para crimes com arma de fogo

agro-24-04-ft-Arquivo-Paulo-Cordeiro

Agricultores familiares acessam políticas públicas de comercialização e melhoram renda com apoio do Incaper

geral-24-04-ft-div

Projeto Jovem Perito da Polícia Científica está com agenda de 2024 aberta

saude-24-04-ft-freepik

Lacen confirma circulação de Febre do Oropouche no Espírito Santo

geral-23-04-Foto-Osvaldo-Paula-Galote-Junior

Dia Mundial do Livro: leitura transformou a vida de um jovem em Domingos Martins

geral-23-04-ft-div

Programa Acredita começa hoje e prevê facilidade aos MEIs em negociação de dívidas

geral-23-04-ft-div-gov-es

Espírito Santo registra redução nas taxas de pobreza e extrema pobreza