Conheça algumas particularidades do mosquito Aedes aegypti

Publicado em 30/07/2021 às 16:54

Compartilhe

mosquito-1

Texto: Governo Es / Foto: Divulgação

O Aedes aegypti, o mosquito transmissor das doenças conhecidas como dengue, zika e chikungunya, tem característica própria, a começar pelo fato de o vírus ser transmitido pela fêmea contaminada.

Medindo até um centímetro de comprimento, o mosquito tem listras brancas no corpo e nas patas, sendo essa a principal diferença em relação aos pernilongos comuns. Ele circula durante todo o dia, mas costuma ser mais ativo em horários com temperaturas mais amenas, como pela manhã, no final da tarde e início da noite. Além disso, voa baixo, picando geralmente entre os joelhos e os pés, mas isso não impede que pique as demais partes do corpo.

Ciclo de vida do Aedes aegypti

O Aedes aegypti leva, em média, dez dias para se desenvolver e vive durante 30 dias. Uma única fêmea produz de 60 a 120 ovos em cada ciclo reprodutivo e pode ter mais de três ciclos durante a vida.

O ciclo de vida do mosquito é dividido em quatro etapas: ovo, larva, pupa (estágio intermediário entre a larva e o adulto) e adulto. A fêmea do mosquito deposita os ovos nas bordas dos recipientes com água limpa ou suja parada. Dois ou três dias após o contato do ovo com o líquido, as larvas nascem e dias depois chegam na fase da pupa. Esse ciclo dura cerca de 48 horas e, ao término, se transformam em mosquitos adultos.

A proliferação do mosquito é intensificada no Verão, período mais quente do ano. Mas os cuidados para eliminar os criadouros devem ser mantidos durante todas as estações, evitando, assim, o aumento alarmante de casos. Por isso, embora os cuidados sejam necessários durante todo o ano, é importante saber como identificar o mosquito Aedes aegypti.

Como prevenir

Para evitar a proliferação do mosquito, é necessário que cada cidadão se empenhe nesse processo, mantendo as calhas das casas e prédios sempre limpas; as caixas d’água bem vedadas; verificando se não existe água acumulada nas lajes; lavando bem as bordas das vasilhas de água e comida de animais; descartando lixos, entulhos e pneus nos locais adequados, entre outras ações de limpeza.

Primeiros sintomas

Os primeiros sintomas de dengue, zika e chikungunya incluem febre, dor de cabeça, náuseas, vômitos, manchas vermelhas na pele e dores nas articulações e nos músculos, o que torna difícil diferenciar essas doenças entre si. Logo, além de saber identificar o mosquito Aedes aegypti e adotar as medidas de prevenção, é preciso estar atento aos sintomas e procurar atendimento médico logo no início.

Veja aqui o 29º boletim da dengue.

Veja aqui o 29º boletim da zika.

Veja aqui o 29º boletim da chikungunya.

Veja também

© Samara Miranda/Remo/Direitos Reservados

Com gol contra, Remo vence Avaí em confronto de Leões pela Série B

© Reuters/Denis Balibouse/ Direitos Reservados

Brasil recebe mais dois lotes de vacinas da Pfizer

© Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

CCJ da Câmara aprova admissibilidade da PEC dos Precatórios

© Gaspar Nóbrega/COB/Direitos Reservados

Brasil vence Argentina no Sul-Americano de vôlei feminino

© Bruno Haddad/Cruzeiro/Direitos reservados

Série B: VAR anula gol nos acréscimos e Cruzeiro empata com Operário

© Rafael Ribeiro/Vasco/Direitos Reservados

CRB arranca empate com o Vasco na 24ª rodada da Série B

© Marcello Casal jr/Agência Brasil

Decreto aumenta alíquotas do IOF para custear novo Bolsa Família

© Rovena Rosa/Agência Brasil

CoronaVac dá proteção acima de 90% a quem tem comorbidades, diz estudo