Caminhoneiros criticam congelamento do ICMS: “Não vai resolver o problema”

Publicado em 29/10/2021 às 14:21

Compartilhe

102731


source
Caminhoneiros prometem paralisação a partir de 1º de novembro
Reprodução: iG Minas Gerais

Caminhoneiros prometem paralisação a partir de 1º de novembro

Em meio as ameaças de paralisação, os caminhoneiros criticaram a proposta do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) em congelar o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) dos estados para reduzir o preço dos combustíveis. Segundo líderes da categoria, a medida é paliativa e não vai alterar a política de preços da Petrobras.

Nesta sexta-feira (29), o Confaz decidiu congelar o imposto estadual para combustíveis até 31 de janeiro de 2022. A medida visa reduzir o valor da gasolina e diesel nas bombas e diminuir as possibilidades de greve dos caminhoneiros.

Entretanto, a proposta foi recebida de forma negativa pela categoria. Ao UOL , o líder dos caminhoneiros autônomos no Piauí, Edvan Ferreira, disse que a proposta não irá resolver o problema. Ele ressalta os prejuízos para os estados e a possibilidade de lucro para acionistas da Petrobras.

“É uma medida paliativa, não vai resolver o problema. Os estados também foram beneficiados –e muito– com esses aumentos dos combustíveis. Está na hora de rever a tributação. Mas se a Petrobras não mudar, não irá surtir efeito”, disse.

Leia Também

“Congela-se o ICMS, e o PPI (Preço de Paridade de Importação) continua. Significa perda de arrecadação para os estados e lucros para os acionistas”, concluiu Ferreira.

Lideranças de caminhoneiros ressaltaram que a proposta não afastará a possibilidade de greve da categoria, programada para começar na próxima segunda-feira (01). Após o cancelamento da reunião com o Palácio do Planalto, os líderes do movimento cogitaram a hipótese de a presidência não acreditar na paralisação e passou a pressionar ainda mais a participação de outros caminhoneiros.

Sindicatos também assinaram um documento em apoio a greve dos caminhoneiros. A Central Única dos Trabalhadores (CUT) e a Força Sindical emitiram um comunicado em que reiteram que o alto valor do diesel impossibilita o trabalho da categoria, por isso, se posicionam a favor da paralisação.

Veja também

© Marcos Oliveira/Agência Senado

Senado aprova novas regras para emendas de relator

© Reuteres/Sergio Moraes/Direitos reservados

Comitê recomenda que réveillon no Rio de Janeiro seja mantido

© Bruno Corsino/ACG/Direitos Reservados

Atlético-GO derrota Bahia e se afasta do Z4 do Brasileiro

© Geovana Albuquerque/Agência Saúde DF

SP usará vacina da Pfizer como segunda dose em quem recebeu a Janssen

© Rovena Rosa/Agência Brasil

Covid-19: Brasil tem 22 milhões de casos e 614,3 mil mortes

© Guilherme Mansueto/Magnus Futsal/Direitos Reservados

LNF: Magnus supera Foz Cataratas e vai à final pelo 3º ano seguido

Café em Itarana

Polícia Militar recupera carga de café roubada em Itarana

© Marina Ramos/Câmara dos Deputados

Câmara aprova medidas de transparência e teto para orçamento secreto