Cacau Lorenzoni diz que não será candidato em 2022 e anuncia Terceira Ponte em Marechal Floriano

Publicado em 06/05/2021 às 11:21

Compartilhe

Em sua primeira entrevista exclusiva concedida ao portal Montanhas Capixabas, em seu quarto mandato de prefeito em Marechal Floriano, Cacau Lorenzoni garantiu que não será candidato no próximo ano, e que irá cumprir seu mandato. “A missão é deixar a casa organizada e manter as contas em dia”, afirma.

Ele falou dos desafios de administrar o município durante a pandemia, mas revelou que há importantes projetos que serão executados. Um dos destaques é a Terceira Ponte da sede do município, cuja obra deve ser iniciada ainda este ano. Cacau também falou sobre os desafios no enfrentamento à pandemia da Covid-19.

Montanhas Capixabas – Quais os principais desafios para os próximos anos, além do enfrentamento da pandemia da Covid-19?

Cacau Lorenzoni – O principal desafio nessa pandemia que estamos atravessando, que já dura mais de um ano, com essa incerteza muito grande, é manter as contas em dia. Esse é o grande objetivo de qualquer administrador. E a gente sabe que quando se é um grande administrador, ao enfrentar um grande desafio é conseguir manter as contas em dia.

“A missão é deixar a casa organizada e manter as contas em dia”

Você governar com dinheiro é muito fácil. Agora, difícil é governar com poucos recursos, devido a essa pandemia, e manter a máquina administrativa funcionando: e isso nós estamos fazendo. Estamos com os pagamentos e os salários em dia, apesar de ter diminuído quase 15% a arrecadação do município. Estamos eliminando algumas coisas que não são prioridades, mas estamos mantendo a administração em ordem.

E diante desse cenário, é possível fazer investimentos?

Esse realmente é um grande desafio. Além de enfrentarmos essa pandemia mundial, com muitas incertezas, é preciso ter coragem de fazer investimentos, para dar qualidade de vida para a população. Um grande investimento que está prestes a ser feito é a Terceira Ponte da Sede, que vai ligar a Rua Delimar Schunk com o espaço onde era realizada a Italemanha.

Estamos nos últimos detalhes para assinar um convênio com o governo estadual, nos próximos dias, para iniciar essa importante obra. A construção será bonita, de qualidade, e ainda haverá uma rua em direção à BR-262. Esperamos que até junho assinemos esse convênio com o Estado.

Se tudo correr bem e essa pandemia acabar, aos poucos tudo vai voltando ao normal. Vamos passar por momentos difíceis, e temos que estar preparados para enfrentar tudo isso. O Brasil não vai crescer 7% como estava ocorrendo, mas voltando ao crescimento, já vai melhorando aos poucos.

Desde o início da pandemia, aumentaram alguns custos para a Prefeitura?

Os preços de tudo aumentaram muito. E ainda vemos a arrecadação caindo. Para se ter uma ideia, compramos retroescavadeira e outros maquinários em setembro do ano passado, e até hoje nada foi entregue. Os preços subiram muito e as empresas estão atrasando as entregas. Temos o dinheiro reservado para pagar, e as empresas não entregam. Esses equipamentos serão para ajudar a dar manutenção em estradas do interior, mas mesmo assim estamos conseguindo manter todas as vias em boas condições.

Infelizmente, tivemos uma tempestade recentemente que destruiu muitas regiões do município, mas estamos conseguindo atender a todas as comunidades. Devido a isso, decretamos situação de emergência no município, mas ainda não chegaram recursos para auxiliar as famílias afetadas.

Muitos itens que utilizamos no dia a dia são cotados em dólar ou são importados. O combustível, por exemplo, subiu muito. Há quatro anos, o litro de gasolina era cerca de R $2,80, e hoje está chegando a R $6,00. Os preços dos materiais usados na área de saúde dispararam no último ano. A nossa despesa geral aumentou muito.

E como está sendo feito o enfrentamento dessa pandemia no município?

Estamos enfrentando essa fase e, atualmente, focando na vacinação da população. Esperamos que, quando 70% das pessoas estiverem vacinadas, as coisas comecem a melhorar. De acordo com a chegada das vacinas, os grupos prioritários estão sendo vacinados.

Agora, estamos com dificuldade com a segunda dose da Coronavac, que está atrasando, e isso gera uma apreensão, mas já foi informado que até o próximo dia 20 deve se normalizar.

“Sabemos da importância de se manter o comércio aberto, mas não podemos fugir da responsabilidade com a saúde pública”

E buscando sempre nos adequarmos aos decretos estaduais e tentando proteger a população do contágio, tivemos que isolar praças e áreas de lazer, fizemos a desinfecção de prédios onde funcionam os serviços da Prefeitura, de pontos de ônibus e de escolas e orientamos a todos sobre a necessidade de cumprir os protocolos sanitários.

E como é conciliar as medidas necessárias para o combate à pandemia e manter a economia em atividade?

Já estivemos em risco baixo, risco moderado, risco extremo, e agora voltamos ao risco alto. O comércio pode abrir de segunda a sábado, e esperamos, com a colaboração de todos, que voltemos logo a categorias mais baixas.

Temos que nos adequar aos decretos estaduais e cumprir o que chega para o município, porque se não fizermos isso, o Ministério Público nos obriga e ainda respondo processo, e isso é gravíssimo.

Sabemos da importância de se manter o comércio aberto, mas não podemos fugir da responsabilidade com a saúde pública. Esperamos que aos poucos voltem à normalidade. A safra de café, que está iniciando, também contribui com o giro econômico. É preciso saber conciliar a economia e o social.

“Eu vou cumprir meu mandato porque tenho um compromisso com a população e não sou candidato a nada”

E falando na política, o senhor pensa em ser candidato nas eleições do próximo ano?

Não. Eu vou cumprir meu mandato porque tenho um compromisso com a população e não sou candidato a nada. Vamos trabalhar para deixar a casa arrumada para o próximo que vier administrar o município. Nossa equipe está toda unida e trabalhando junto. Já é definitivo que irei cumprir meu mandato.

A reeleição é uma das piores eleições a se disputar, porque a sua gestão está sendo avaliada. E se a população me reelegeu, eu tenho um compromisso em deixar a casa em ordem e as contas em dia.

“Vejo que a região tem bons nomes para serem candidatos a deputados estaduais e federais no próximo ano”

Vejo que a região tem bons nomes para serem candidatos a deputados estaduais e federais no próximo ano, mas sabemos que há muitos candidatos de várias regiões que têm ligação com a região e sempre têm votos aqui. Se tiver união em prol de uma pessoa que tem um bom trabalho, é possível eleger deputados estaduais e federais da região.

 

Veja também

97960

Cumbre Vieja: vulcão entra em etapa ‘efusiva’ e tendência é de fortes explosões

97958

Para segurança de Bolsonaro, GSI gastará R$ 146 mil em equipamento de mergulho

© Geovana Albuquerque/Agência Saúde DF

Rio de Janeiro distribui 348,6 mil doses da vacina da Pfizer

97954

App Itaú oferece recarga de Bilhete Único em São Paulo

97952

Banco Central revisa expectativa de inflação para 2022 e ultrapassa a meta

© Geovana Albuquerque/Agência Saúde DF

Vacinação covid-19: Rio de Janeiro distribui doses da Pfizer hoje

Saúde disponibiliza vacina contra meningite para crianças de até dez anos ainda não vacinadas em todo Estado

97946

Geração de empregos é um dos objetivos de plataforma de investimentos em turismo