Um cessar-fogo de 4 dias é aprovado na guerra entre Israel e Hamas

Publicado em 22/11/2023 às 08:45

Compartilhe

guerra-22-11-freepik

Foto: Freepik

Por meio de intermédio do governo do Catar,  Israel e o grupo armado palestino Hamas acertaram na manhã desta quarta-feira (22) um cessar-fogo de quatro dias na guerra que já dura 47 dias na Faixa de Gaza e já deixou mais de 15 mil mortos, sendo 14,1 mil palestinos.

O Hamas aceitou libertar 50 pessoas que foram mantidas em cativeiro em Gaza desde o ataque de 7 de outubro. A intenção do governo israelense é que sejam libertos mulheres e crianças primeiro. Em troca, Israel libertará palestinos detidos em prisões locais. 

O gabinete do primeiro-ministro de Israel, Bejamin Netanyahu, informou ainda que por cada 10 reféns adicionais libertados, a pausa seria prolongada por um dia, sem mencionar em troca a libertação de prisioneiros palestinos.

“O governo de Israel está empenhado em devolver todos os reféns para casa. Esta noite, aprovou o acordo proposto como uma primeira etapa para atingir este objetivo”, afirmou no seu breve comunicado.

O gabinete de ministros de Israel votou em peso a favor da trégua: o placar foi de 35 votos favoráveis e 3 contrários. O ministro da Segurança Nacional, Itamar Ben-Gvir, e dois outros membros do seu partido de extrema-direita se opuseram ao cessar-fogo.

Segundo o Hamas, o acordo prevê que as Forças de Defesa de Israel interrompam todas as ações militares em Gaza e que centenas de caminhões transportando ajuda humanitária, médica e de combustível seriam autorizados a entrar no território.

Autoridades do Catar, dos Estados Unidos, de Israel e do Hamas vêm sugerindo há dias que um acordo era iminente.

Num comunicado divulgado posteriormente, o Qatar confirmou o “sucesso” dos esforços de mediação, que também envolveram o Egito e os Estados Unidos, e confirmou os parâmetros gerais do acordo.

“O horário de início da pausa será anunciado nas próximas 24 horas e terá duração de quatro dias, sujeito a prorrogação”, diz o texto.

O “número de libertados aumentará nas fases posteriores da implementação do acordo”, acrescentou sem entrar em detalhes.

O presidente dos EUA, Joe Biden, saudou o acordo e agradeceu a ajuda do Emir do Qatar, Xeque Tamim bin Hamad Al Thani, e do Presidente do Egipto, Abdel Fattah el-Sisi, pela sua “liderança crítica e parceria”.

“Estou ansioso para falar com cada um desses líderes e manter contato próximo enquanto trabalhamos para garantir que este acordo seja cumprido em sua totalidade”, afirmou a Casa Branca em comunicado. “É importante que todos os aspectos deste acordo sejam totalmente implementados.”

Acredita-se que cerca de 240 reféns tenham sido raptados de Israel e estejam sendo mantidos nos túneis do Hamas, em Gaza.

Segundo Biden, alguns americanos seriam libertos durante a próxima pausa. Acredita-se que outros estrangeiros não façam parte do acordo.

O Hamas só libertou quatro prisioneiros desde 7 de outubro, sendo uma mãe americana e a sua filha e duas idosas israelitas por motivos de saúde.

De acordo com o grupo terrorista, alguns dos cativos foram mortos em bombardeios israelenses.

Fonte: Portal IG

Veja também

geral-15-04-ft-reproducao

Inmet emite alerta de ciclone extratropical e chuva intensa no sul do Brasil

geral-15-04-ft-Agencia-Brasil

Terceiro lote do abono salarial PIS/Pasep é pago nesta segunda-feira

agro-15-04-Tatiana-Caus-Incaper

Jardim Clonal Superadensado de Marilândia é exemplo de como plantar mais em espaço reduzido

chagas

Brasil investe em pesquisa e luta pela sua eliminação como problema de saúde pública

futebol-nas-montanhas

Hoje a bola rola para 3ª rodada do Campeonato Intermunicipal de Futebol Masculino nas montanhas

cafe

No Dia Mundial do Café, conheça curiosidades da segunda bebida mais consumida no mundo

arroz

Conheça as principais diferenças nutricionais de três tipos de arroz

Dinheiro apreendido

Homem detido com mais de R$ 1 milhão no carro disse que dinheiro seria para comprar roupa em São Paulo