Vidas em rede e o “tal” do webnamoro

Flaviane Brandemberg , 14 Agosto 2019

Vidas em rede e o “tal” do webnamoro

Esses dias inclusive fiquei intrigada com uma matéria que eu li. Falava sobre as “webnamoradas”, já ouviu dizer? Pois bem, como o próprio nome insinua, as webnamoradas vendem seu tempo e atenção, tudo pela internet! O namoro funciona como um teatro, com direito a troca de mensagens, fotos e até áudios. O que foge bastante da realidade é que esse serviço é vendido como o perfeito, a namorada “perfeita”.

As webnamoradas se comportam exatamente como o namorado virtual espera. Isso é claro, durante o tempo que o serviço foi contratado. Há alguns dias escrevi aqui no blog sobre como os relacionamentos tem esfriado devido as pessoas estarem a todo o momento conectadas. Chamo de terceiro travesseiro. E desse lado, agora, um serviço de venda de relacionamentos perfeitos, o que não faz sentido algum nos relacionamentos.

O que quero dizer com isto? Bom, as pessoas estão cada vez mais fascinadas em busca de algo que não real, que não é verdade. Um outro ponto que isso nos leva a pensar é que essas pessoas que buscam esses serviços possuem algum determinado grau de baixa estima e entrosamento. Ao passo em que as webnamoradas acabam por alimentar um pensamento e comportamento nocivo a saúde mental dessas pessoas.

A internet é uma ferramenta interacional que faz parte de nossas vidas, mas não é a principal e nem deve ser! A conversa ao pé do ouvido, o carinho, o toque e as demais trocas interacionais vividas fora das redes, estas sim é que realmente nos fazem sentir vivos.

Agora me conta, como você tem aproveitado seu tempo fora das redes?

confira botao coluna 2