Polícia Civil prende dois envolvidos em assassinato de lavrador de Tijuco Preto

Na tarde de ontem do (15), a Polícia Civil efetuou a prisão de dois homens acusados de serem os principais responsáveis pelo assassinato do lavrador Alexandre Knack, 37 anos, morto em Alto Tijuco Preto, no dia 13 de junho deste ano. O corpo de Alexandre foi encontrado carbonizado sobre palhas de feijão.

Assim que o corpo foi encontrado, a equipe de investigação da Delegacia de Polícia de Domingos Martins, em trabalho em conjunto com a equipe da 6ª CIA Independente da Polícia Militar, constatou que, no dia anterior, a vítima havia sido agredida fisicamente no interior de um bar naquela localidade.

Polícia Civil prende dois envolvidos em assassinato de lavrador de Tijuco PretoDiante dos fatos, foi realizada uma perícia no referido estabelecimento, onde foram colhidas amostras de sangue no local e encaminhadas para o exame de DNA. Já através do exame cadavérico, foi concluído que a vítima ainda estava viva quando foi carbonizada, tendo ido a óbito em razão das queimaduras que sofreu.

As prisões

Durante a fase de depoimentos, uma das testemunhas afirmou que estaria sendo ameaçada de morte, e outras três afirmaram que estariam sendo coagidas a prestar depoimentos falsos, indicando à autoridade policial quem seriam dois dos autores do crime, além de fornecer detalhes do que ocorreu no dia do assassinato da vítima.

Assim que os suspeitos foram identificados, foi pedida a prisão preventiva dos dois investigados, cujos mandados foram expedidos e cumpridos na data de ontem (15), na localidade onde moram, por uma equipe de cinco policiais da Delegacia de Polícia Civil de Domingos Martins, que também contou com o apoio da equipe da Delegacia de Polícia de Marechal Floriano.

Da mesma forma, foram cumpridos mandados de busca na residência dos investigados, além de cumprimento de busca na residência do irmão de um deles, o qual estaria auxiliando na intimidação das testemunhas.

Ameaças

Desde o dia que ocorreu o crime, o irmão de Alexandre, Rafael Knack, 35, também lavrador, contou em entrevista para a equipe de reportagem do Portal Montanhas Capixabas que vem sofrendo constantes ameaças em virtude da morte do irmão.

Rafael acredita que por conta de estar tentando esclarecer o crime, acredita que estas ameaças são para intimidar e dificultar na elucidação do assassinato. “São ameaças diárias, mas a última foi segunda-feira (12), quando um carro com três pessoas passou na frente da minha casa e começou a acelerar e fazer poeira na frente da minha casa”, relatou Knack.

Ele ainda afirmou que passou por todas essas situações que vem sofrendo para a Polícia Civil e que, a Policia Militar já esteve no local para verificar esse problema. “Eu nem estou deixando minha filha ir para escola, de tanto medo”, conta Rafael.

A Tenente Klein da Polícia Militar orienta que qualquer ameaça feita a qualquer indivíduo, deve ser levado ao conhecimento dos policiais.“ É muito importante que qualquer pessoa que sofra qualquer tipo de ameaça, leve mais elementos para que fique mais fácil a identificação e a localização desses indivíduos”, salienta Klein.