Fitas para distanciamento nas praças e pontes retiradas por vândalos e postas novamente pela Prefeitura

Continuam sendo destruídas ou simplesmente retiradas e jogadas ao piso a maioria das fitas instaladas na Praça José Henrique Pereira e Praça Santa Rita, nos passeios nas laterais das duas pontes sobre o Braço Sul do Rio Jucu e nos campinhos de areia.

Fitas para distanciamento nas praças e pontes retiradas por vândalos e postas novamente pela PrefeituraAs fitas foram instaladas em Marechal Floriano pela Secretaria Municipal de Obras e Serviços Urbanos. Nesse fim de semana as fitas foram postas novamente.

Houve o apoio da Polícia Militar desta cidade na instalação das fitas. O objetivo principal é evitar as aglomerações comuns nos locais públicos, situação que é condenada pelas autoridades e médicos devido às infestações da doença Covid 19, a conhecida pandemia coronavírus.

Fitas para distanciamento nas praças e pontes retiradas por vândalos e postas novamente pela Prefeitura 2Na noite do último sábado (30) as fitas plásticas da Praça José Henrique Pereira foram literalmente retiradas, possivelmente por grupo de pessoas desocupadas. “Todos sabem para que as fitas atadas às bancadas e nos acessos das pracinhas, e quem as retira parece não acreditar nas atuais condições de saúde pelas quais passam todos os moradores do planeta”.

A afirmação é do secretário de Obras e Serviços Urbanos, Antônio Malini que solicita às pessoas que não procedam dessa forma, porque assim foge do controle a pandemia. “A saúde depende de nós também então, vamos colaborar evitando grupos e atendendo a nossa reivindicação”, disse.

O morador de Domingos Martins, Ilmar Kiefer, comentou que não tem conhecimento se na sua cidade acontece essa mesma situação de vandalismo. “Estou aqui em Marechal Floriano e aprovo perfeitamente essa ação da administração do município e policial, porque a saúde prevalece em primeiro lugar”.

Para a servidora do setor turístico de Marechal Floriano, Sônia Werneck, é fundamental a manutenção das fitas que colaboram para que as pessoas não se aglomerem e, assim, a doença surja com mais força na cidade. “Precisamos colaborar conosco mesmos, com o distanciamento que é fundamental para evitar a chegada da doença Coronavírus”, disse.