Moradores assustados com acidentes na BR-262 em Marechal Floriano pedem por redutores de velocidade

Comerciantes, mecânicos, professores e profissionais de áreas diversas que residem ou trabalham ao lado da Rodovia BR-262, pretendem solicitar oficialmente ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) a instalação de redutores eletrônicos de velocidade nas imediações do quilômetro 47, no Bairro Ponto Frio, em Marechal Floriano.

No local residem mais de 100 famílias com crianças que são obrigadas a atravessar a pista da via federal para seguirem até as escolas da sede de Marechal Floriano, além dos idosos que atravessam e enfrentam a velocidade dos veículos, onde a sinalização que pleiteiam, ainda não foi instalada.

Acidentes graves acontecem sempre nesse trecho onde se localiza o bairro. Ocorrem atropelamentos e colisões graves como a que ocorreu na última semana, quando um motorista de um carro de passeio saiu em estado grave, sendo socorrido pelo Corpo de Bombeiros de Marechal Floriano e pelos socorristas do SAMU. Ele continua internado em um hospital na Grande Vitória.

Moradores assustados com acidentes na BR262 em Marechal Floriano pedem por redutores de velocidade 02O comerciante Oldemar Entringer, o “Tuzinho”, acredita que com a instalação de um equipamento capaz de reduzir a velocidade, as ocorrências terão a tendência de uma redução drástica. “O nosso objetivo é apenas a promoção da segurança dos moradores e dos próprios condutores e acompanhantes, geralmente familiares, nos carros de passeio”.

Para o borracheiro Célio Schunk, é visível a qualquer momento o perigo com a alta velocidade no trecho próximo da sede de Marechal Floriano, no conhecido Bairro Ponto Frio. “Basta que estacionemos o nosso carro fora da pista para percebermos o perigo enfrentado por que viaja passando por Marechal Floriano”.

De acordo com o empresário e morador de Vila Velha, João Gerhardt, que viaja pela região das montanhas do Estado, já que não há possibilidade de uma viatura da PRF se manter estacionada 24 horas nesse trecho perigoso, o DNIT deveria instalar os equipamentos eletrônicos para a segurança de quem trafega na BR-262 e moradores do Bairro Ponto Frio. “As crianças não podem assistir tragédias como as que ocorrem nesse trecho”.