Pretinho Básico - O vestido preto da noiva

Folha Pomerana Express , 22 Junho 2018

Pretinho Básico - O vestido preto da noiva

pomerana1Para um pomerano o casamento constituía-se em um dos acontecimentos mais importantes e mais representativos do início da sua vida familiar. De acordo com Prof. Dr. Martin Dreher, o aspecto no passado que talvez mais distinguia os pomeranos das tradições de outros grupos, eram as práticas ligadas às festas de casamento. Em um casamento tradicional desse grupo populacional, o que normalmente costuma chamar mais atenção das pessoas atualmente é o vestido de noiva preto. Abordaremos a seguir algumas das principais teorias que cercam esse antigo costume e as argumentações de pesquisas recentes relacionadas ao tema. O vestido de noiva dos primeiros casamentos era realmente de cor preta. É o que comprovam as peças de roupa deixadas pelos antigos e também imagens registradas em fotografias. Em sua viagem pelo Brasil por volta de 1970, Klaus Granzow, autor e pesquisador pomerano, relata sua admiração ao visitar a família Friedrich: “De repente apareceram as mulheres da família Friedrich. Na outra sala víase pessoas dançando. Vestiam trajes de noiva longos e na cor preta, bem antigos, que por muito tempo haviam sido guardados”.

pomerana2“Até então eu apenas conhecia esse tipo de vestido pelas fotos. Fiquei admirado por ainda ter encontrado ali essas peças tão valiosas e de forma
original”. Contudo, há algumas controvérsias do porquê da cor preta. Para o Prof. Dr. Wilhelm Wachholz, existem interpretações opostas em torno do uso do vestido preto pelas noivas pomeranas. Dr. Wachholz cita 3 exemplos: 1. Uma interpretação relaciona o vestido preto com os riscos decorrentes do parto. Nesse caso, preto é cor do luto, lembrando que casamento, maternidade e morte estão interligados. 2. Há também aqueles que acreditam que o preto representa a morte social da noiva, ou seja, a separação dela de sua família e o ingresso em outra. 3. Outros afirmam ser essa a roupa mais acessível da época. Dr. Seibel acrescenta a essas teorias: 4. O grotesco costume feudal do direito à primeira noite de núpcias que cabia por direito ao senhor feudal e não ao noivo (jus primae noctis - essa ideia, que já havia em toda a Europa, alastrou-se na Pomerânia somente por alguns lugares, como na Ilha de Rügen e no leste das terras pomeranas); como forma de protesto, teria levado à adoção de uma indumentária de cor preta. 5. Relacionada ao frio. O vestido preto absorve melhor o calor. 6. Por fim, seria um protesto contra o Governo da Província que não dava assistência. Atualmente a tese mais difundida é a de que o vestido de cor preta da noiva pomerana tem a sua origem em uma atitude de luto ou até de protesto.

pomerana3O imaginário humano sempre foi e continua sendo rico, criando todo um folclore em torno de um fato que não tem qualquer embasamento histórico. A pesquisadora Angela Wittmann mostra que antes do século 19, em vários países da Europa, as noivas se casavam de preto, marrom, vermelho, azul e cinza. Utilizavam o seu melhor vestido e não o usavam somente no dia do casamento, mas também em outros dias. Geralmente o vestido era preto, pois era mais acessível e não aparecia estar sujo com facilidade. Poderia, dessa forma, ser utilizado mais vezes se comparado com um vestido de cor clara ou branco. Dr. Seibel afirma que no século XIV a moda da cor preta nas vestimentas das mulheres se torna presente nos palácios da Antuérpia e Holanda, chegando a nobreza espanhola nos séculos XV e XVI. O reinado de Maria I (1542-1587), rainha da Escócia, levou o costume para a nobreza irlandesa e inglesa e mais tarde chegou à Pomerânia.

pomerana4Ainda segundo Dr. Seibel, no dia de seu casamento a noiva pomerana queria se vestir como uma princesa, pois nos outros dias era serva de príncipes feudais e suas roupas eram feitas de sacos de cereais e tecidos simples. As camponesas da Ilha de Rügen e Stralsund aplicavam em seus vestidos de núpcias bordados de flores em tons claros na parte frontal, embelezando os vestidos. Como ostecidos eram caros, a noiva pomerana guardava seu vestido de núpcias, mesmo sendo da cor preta, usando-o somente em dias solenes e religiosos (Natal, Pentecostes, Páscoa, batizados e enterros). Alguns vestidos eram abotoados na frente para poder amamentar seus filhos pequenos. Existem registros de que o vestido de confirmação também era preto.

confira botao coluna 2

 

Histórico