Senado vota hoje sobre o fim da ‘saidinha’ no sistema prisional

Publicado em 20/02/2024 às 11:02

Compartilhe

politica-20-02-Pedro-Franca-Agencia-Senado

O projeto que visa limitar as saídas temporárias de presos condenados, popularmente conhecidas como “saidinhas”, está programado para ser votado no Senado durante a sessão plenária desta terça-feira (20). Este projeto, que faz parte da pauta da sessão marcada para iniciar às 14h, passou por alterações em relação à versão aprovada na Câmara dos Deputados. Caso seja aprovado pelos senadores, será necessário retornar para uma nova análise na Câmara antes de ser encaminhado para a sanção presidencial.

A saída temporária é um benefício estabelecido no artigo 122 da Lei de Execuções Penais, aplicável a condenados em regime semiaberto que tenham cumprido ao menos um quarto de sua pena. O propósito é incentivar a reintegração social, permitindo temporariamente que o preso saia durante feriados e pontos facultativos.

A proposta foi agendada após a aprovação de um requerimento de urgência, eliminando assim a discussão na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). O texto inclui a realização de exame criminológico para progressão de regime e a utilização de tornozeleira eletrônica por presos em regimes aberto, semiaberto ou em progressão para esses regimes.

O relator da proposta é o senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ), que acatou uma emenda do senador Sergio Moro (União-PR). A emenda propõe a manutenção das saídas temporárias apenas para casos de curso supletivo profissionalizante, ensino médio ou superior.

Prevê-se que o processo legislativo seja ágil. O projeto está em tramitação no Legislativo há mais de dez anos, mas ganhou destaque após o assassinato do sargento da Polícia Militar de Minas Gerais, Roger Dias, por um presidiário que descumpriu as condições do benefício.

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), indicou que os parlamentares promoverão mudanças no sistema prisional, defendendo a revisão do Código Penal e dos institutos penais existentes, como livramento condicional, comutação e indulto, bem como as saídas temporárias. Ele ressaltou a recorrência de crimes relacionados a essas saídas, que ao invés de promoverem a ressocialização, têm sido utilizadas para conceder liberdade a indivíduos que não estão aptos para tal.

O projeto de lei também aborda a realização de exames criminológicos para progressão de regime, estipulando que apenas condenados com bom comportamento carcerário, comprovado pelo diretor da instituição e pelos resultados do exame, terão direito a isso.

Senado discute outros temas

Além das “saidinhas”, outros itens na pauta de hoje do Senado incluem a discussão de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que aumenta o tempo de serviço exigido para militares federais concorrerem em eleições sem perderem a remuneração, passando de 10 para 35 anos. Essa proposta ainda precisa passar por mais três sessões de análise antes de ser votada em primeiro turno e posteriormente encaminhada para a Câmara dos Deputados.

Também está em pauta o projeto que trata da estrutura do Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT), propondo o aumento de 11 para 12 no número de integrantes do órgão.

Fonte: Portal IG/ Foto: Pedro França/Agência Senado

Veja também

prefeitura-de-marechal

Prefeitura de Marechal Floriano realiza audiência pública para apresentação Lei orçamentária de 2025

mundo-24-04-ft-JIM-WATSON

EUA promete enviar ajuda militar à Ucrânia nas próximas horas

politica-24-04-freepik-arma

Projeto quer estabelecer multa para crimes com arma de fogo

agro-24-04-ft-Arquivo-Paulo-Cordeiro

Agricultores familiares acessam políticas públicas de comercialização e melhoram renda com apoio do Incaper

geral-24-04-ft-div

Projeto Jovem Perito da Polícia Científica está com agenda de 2024 aberta

saude-24-04-ft-freepik

Lacen confirma circulação de Febre do Oropouche no Espírito Santo

geral-23-04-Foto-Osvaldo-Paula-Galote-Junior

Dia Mundial do Livro: leitura transformou a vida de um jovem em Domingos Martins

geral-23-04-ft-div

Programa Acredita começa hoje e prevê facilidade aos MEIs em negociação de dívidas