Saúde reforça importância da vacinação contra sarampo àqueles que vão à Olimpíada de Paris

Publicado em 24/06/2024 às 11:39

Compartilhe

saude-24-06-ft-freepik-vacina

Foto: Freepik

Há quase um mês para início dos Jogos Olímpicos, em Paris, na França, a Secretaria da Saúde (Sesa) reforça a importância da vacinação contra o sarampo a todos aqueles que irão acompanhar aos jogos in loco, sejam turistas, atletas ou profissionais a trabalho. É orientada a aplicação de uma ou duas doses da vacina Tríplice viral, que deve ser feita até duas semanas antes da viagem, a depender da situação vacinal prévia.

A recomendação é uma medida de controle que visa preservar a saúde dos viajantes e evitar a reintrodução do vírus no Espírito Santo, uma vez que a França é um dos países europeus em que há circulação ativa do sarampo.

Caso não esteja com o cartão vacinal atualizado, não o tenha mais ou precise de orientação sobre a necessidade de atualização, procure uma sala de vacinação mais próxima de sua residência. A vacina tríplice viral, que protege contra o sarampo, está disponível em todas as unidades de saúde para a população de 01 (um) a 59 anos.

A não vacinação contra o sarampo, entretanto, no âmbito do Regulamento Sanitário Internacional, não impede viagens. Por isso, a Sesa orienta também que, ao retornar ao Estado após os Jogos Olímpicos, a população deve ficar atenta ao quadro de suspeita do sarampo, como sintomas de febre e manchas vermelhas acompanhadas de tosse e/ou coriza e/ou conjuntivite devem ser informados. Em casos assim, procure imediatamente a unidade de saúde para confirmação ou descarte do diagnóstico.

Os Jogos Olímpicos de Paris têm início oficial no próximo 26 de julho e reunirão atletas de mais de 200 países.

Sarampo

O sarampo é uma doença infecciosa grave, causada por um vírus, que pode levar à morte. Sua transmissão ocorre quando o doente tosse, fala, espirra ou respira próximo de outras pessoas. A vacinação é a única forma de prevenção. O esquema vacinal para o sarampo é composto de duas doses de vacina com componente sarampo para a população de 12 meses a 29 anos, e de uma dose para a população de 30 a 59 anos.

O Espírito Santo não registra casos confirmados desde 2019. Naquele ano, o Estado teve quatro casos importados, isto é, pessoas que contraíram a doença fora do território capixaba.

Fonte: SESA|ES

Veja também

geral-15-07-ft-gov-es-confecao-roupas-unidade-prisional

Unidade prisional confecciona conjuntos em TNT para pacientes em situação de rua

brasil-15-07-ft-Reproducao-Redes-Sociais-PMERJ-eperacao-policial-Rio

Rio tem megaoperação policial em dez favelas na manhã desta segunda

mundo-15-07-ft-Rebecca-DROKE-ataque-Trump

Trump dá primeira entrevista após levar tiro: ‘Deveria estar morto’

geral-15-07-ft-Renan-Louzada-incendio-pedra-azul

Incêndio em Pedra Azul é combatido por equipes dos bombeiros

centro-cirurgico

Centro Cirúrgico 2.0: projeto para otimizar processos e garantir agilidade a quem precisa de cirurgia pelo SUS capixaba

ministerio-da-saude

Ministério da Saúde já realizou mais de 2.600 atendimentos à estados e municípios

selo-artesanal

Curso sobre Selos de Identificação Artesanal será realizado em julho

Em-apenas-7-meses-Mapa-alcanca-recorde-anual-de-aberturas-de-mercado

Em apenas 7 meses, Mapa alcança recorde anual de aberturas de mercado