Professora cria horta sustentável e ensina hábitos saudáveis de alimentação para alunos em escola de Marechal Floriano

Publicado em 21/08/2022 às 19:57

Compartilhe

Professora-cria-horta-sustentavel-e-ensina-habitos-saudaveis-de-alimentacao-para-alunos-em-escola-de-Marechal-Floriano

Texto: Thiago Ruffine

Um trabalho de conscientização alimentar infantil, realizado na Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Elisiário Ferreira Filho, que fica na sede de Marechal Floriano, tem mobilizado toda a comunidade escolar, estudantes, familiares e também empresários locais, com doações para uma horta sustentável e um cantinho literário na escola.

O projeto foi criado pela professora Lázara Ribeiro dos Santos, através das suas observações na rotina escolar. Ela conta que a origem do trabalho partiu da análise dos hábitos alimentares dos estudantes. “O que me inquietou foram as observações que fiz no momento do recreio com os tipos de lanches que algumas crianças traziam para a escola. A maioria era alimentos industrializados/ultraprocessados, os quais causam prejuízos à saúde se ingeridos diariamente”, disse.

Diante desse cenário, a educadora começou um trabalho interdisciplinar com o segundo ano vespertino D com o tema: “Plantar, Cuidar e me Alimentar com Saúde e Responsabilidade”. Esse trabalho consistiu em palestras sobre saúde alimentar, visita de campo/horta, criação de uma horta na escola e um cantinho de leitura ao ar livre.

Lázara convidou todos os professores, estudantes e seus familiares para participarem das ações, pois segundo ela “é na família que os hábitos alimentares são construídos. Quis mostrar para os estudantes e para as famílias que os hábitos alimentares são importantes para que a criança se alimente bem ou não. Das várias ações que fiz, uma delas foi agregar a horta sustentável a um cantinho de leitura ao ar livre, revitalizando o espaço da escola”, descreveu.

Para a criação desses espaços a educadora contou com o apoio dos familiares dos alunos e de empresários da região, que doaram pneus, pallets, materiais de pintura, mudas, sementes e mão de obra. Os pallets foram usados para a construção de bancos e mesas e os pneus para a horta. Foram recebidas também caixas de madeira para decorar e deixar o cantinho mais aconchegante para as crianças. Esses materiais possibilitaram às crianças plantarem e cultivarem algumas verduras, bem como tornar o ambiente mais acolhedor.

Lázara disse que todo trabalho foi pautado em pesquisas sobre alimentação, na reutilização de materiais que seriam descartados e na conscientização das diversas formas que alguns materiais podem ser reciclados e reutilizados.

Ela disse também que o programa Agrinho foi uma grande inspiração e agregou no trabalho. “Eu estava trabalhando alimentação saudável e o Agrinho trouxe o tema alimentação saudável com ênfase em sustentabilidade, assim veio agregar”, contou.

O programa Agrinho foi criado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-ES), em parceria com a Federação da Agricultura e Pecuária do Espírito Santo (FAES) e também com as secretarias municipais de educação e os Sindicatos Rurais Patronais. Seu objetivo é o desenvolvimento de ações educativas com o escopo de despertar e desenvolver a consciência de cidadania.

Veja também

brasil-14-06-ft-Rovena-Rosa

FAB encerra neste sábado recebimento de doações ao Rio Grande do Sul

esportes-14-06-ft-go-es

Paratleta capixaba conquista prata no World Series de natação na França

geral-14-06-ft-gov-es-arvore-fotovotaica

Parque Cultural Casa do Governador recebe árvore fotovoltaica

saude-14-06-ft-gov-es

Nova linhagem do Coronavírus foi detectada no Espírito Santo

policia-14-06-moto-roubada-mf

Motocicleta é furtada em Marechal Floriano e vítima diz que vai mudar de cidade

capa-coluna-vida-saudavel-2

Acidentes de trânsito, um problema de saúde pública

politica-14-06-ft-assessoria-Janete-de-Sa-Desportiva-Ferroviaria

Estádio da Desportiva Ferroviária poderá se tornar patrimônio cultural material do Estado

mundo-14-06-ft-Divulgacao-Queen-Elizabeth-Hospital-vacina-cancer

Vacinas contra o câncer estão em testes no Reino Unido