Procurador que investigava invasão a TV no Equador é assassinado

Publicado em 19/01/2024 às 10:12

Compartilhe

mundo-19-01-redes-sociais

O procurador responsável por investigar a invasão a uma emissora pública de televisão no Equador foi morto a tiros nesta quarta-feira (17) – (ANSA).

Cesar Suarez foi vítima na cidade portuária de Guayaquil, uma das mais afetadas pela crise de segurança que atinge o país.

A invasão ocorreu no último dia 9, mesmo dia em que o país entrou em estado de exceção após a fuga da prisão do criminoso mais perigoso do país, José Adolfo Macías Villamar, conhecido como Fito.

Mais de 1,3 mil pessoas foram presas desde início de crise de segurança no país

Na segunda-feira (15), a presidência do Equador divulgou um balanço das operações desde o início da crise de segurança no país, em 9 de janeiro, quando o presidente Daniel Noboa declarou o estado de “conflito armado interno” devido às agressões de organizações do narcotráfico.

Até o momento, 1.327 pessoas foram presas e as autoridades realizaram 12.974 operações, sendo 32 delas contra o que classifica como “grupos terroristas”, no âmbito do chamado Plano Fênix, resultando na morte de dois policiais e de cinco suspeitos.

Fonte: Portal IG/ Foto: Divulgação/Redes Sociais

Veja também

cultura-18-04-ft-div-gov-es

Festival Santa Teresa Gourmet completa dez anos conectando público com gastronomia, música e cultura

geral-18-04-ft-negocio-rural

Fim de semana gelado em Vitória e mais 7 capitais brasileiras

brasil-18-04-ft-flipar

Mulher que levou idoso morto a banco passa por audiência de custódia

geral-18-04-freepik-dinheiro

Senado aprova isenção de IR para quem ganha até dois salários mínimos

turismo-18-04-ft-div-setur

Rota dos Sabores mostra a diversidade gastronômica do Espírito Santo

arte-e-cronica

Crônica: Quais suas prioridades?

policia-17-04-ft-policia-amb

Polícia Ambiental flagra atividades de terraplanagem sem licença ambiental na Região Serrana

brasil-17-04-ft-div-portal-ig

Ministério Publico apura se o PCC está infiltrado na saúde pública de São Paulo