Prefeitura de SP privatiza parques Mário Covas e Trianon por R$ 3,3 milhões

Publicado em 05/10/2021 às 17:20

Compartilhe

99101


source
Parque Trianon
Reprodução

Parque Trianon

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria de Governo Municipal (SGM) e da Secretaria do Verde e do Meio Ambiente (SVMA), concedeu nesta terça-feira (5) a gestão, operação e manutenção dos Parques Municipais Prefeito Mário Covas e Tenente Siqueira Campos (Trianon) e sua área adjacente, Praça Alexandre de Gusmão.

Na sessão de licitação, os consórcios interessados disputaram o lote e a outorga, fixada em R$ 163 mil, teve ágio de 1.944% e superou o valor mínimo em quase 20 vezes.

A proposta vencedora foi de R$ 3,3 milhões e foi apresentada pelo Consórcio Borboletas, formado pelas empresas Farah Service e Cidade Matarazzo. O segundo colocado, Consórcio Patrimônio Paulista, propôs R$ 2,3 milhões.

O objetivo do projeto é a revitalização desses espaços públicos e com benefícios diretos aos cidadãos que frequentam os dois parques, localizados nas imediações da Av. Paulista. Além do valor da outorga, os valores antes destinados às despesas com a operação e manutenção dos parques podem ser direcionados para outros programas e serviços públicos.

Revitalização

No Parque Mário Covas, as seguintes reformas estão previstas:

  • Reparar a parte danificada do muro;
  • Reformar a edificação da Central de Informação Turística e Administração;
  • Reformar os sanitários;
  • Implantar mobiliário, sinalização e comunicação visual.

Já no Parque Trianon, a futura concessionária deverá:

Leia Também

  • Reformar os playgrounds e suas áreas;
  • Implantar mobiliário, sinalização e comunicação visual;
  • Garantir a acessibilidade interna, incluindo os caminhos internos primários e secundários.
  • Reformas necessárias referentes à hidráulica, elétrica, TI, piso, cobertura, esquadrias, portas, louças, metais, pinturas, impermeabilizações, calhas, telhados, água, esgoto entre outros.

Toda e qualquer intervenção nos parques deverá passar por aprovação dos órgãos competentes e que a futura concessionária passará por um período de transição.

No estágio 1, que durará até 90 dias, a operação dos parques continua sendo responsabilidade da prefeitura, mas com o acompanhamento na concessionária. Já no estágio 2, o cenário se inverte e a concessionária assume a operação dos equipamentos com o acompanhamento da PMSP por 180 dias.

Líder em concessões

O município de São Paulo é o ente público que mais fechou contratos de concessão no Brasil desde 2019. São 17 projetos assinados ou em rito de assinatura, dos quais 11 são concessões, gerando mais de R$ 8,8 bilhões em benefícios totais para a cidade ao longo dos contratos. Com a licitação realizada hoje, a cidade soma sete parques concedidos à iniciativa privada, mais do que qualquer outra região do Brasil.

Os valores de outorga dos projetos de Desestatização compõem o Fundo Municipal de Desenvolvimento Social (FMD), cujo objetivo principal é o financiamento e expansão contínuos das ações destinadas a promover o desenvolvimento do município de São Paulo.

Até 2020, o FMD recebeu mais de R$ 900 milhões em outorgas, utilizadas para realização de melhorias urbanas como corredores de ônibus, ciclovias, acessibilidade em calçadas etc.

Veja também

© 01/09/2021/Rovena Rosa/Agência  Brasil

Covid-19: Brasil registra 259 mortes e 83,3 mil novos casos

© Érico Filipe/EBC

Queiroga diz que prioridade é ampliar vacinação contra covid-19

© Lucas Figueiredo/CBF/Direitos Reservados

Eliminatórias: Brasil inicia preparação para jogo contra Equador

© Arquivo/Valter Campanato/Agência Brasil

STF determina prisão domiciliar para Roberto Jefferson

114082

Bolsonaro troca social por eleitoral no Orçamento, dizem especialistas

© Tony Heff

Surfe: Medina anuncia que não disputará 1ª etapa do Circuito Mundial

© REUTERS/Alberto Lingria/direitos reservados

Técnico Roberto Mancini convoca brasileiros para a seleção Italiana

© Matsui Mikihito/CPB/Direitos Reservados

Coluna – Pandemia ainda desafia planejamento do ciclo paralímpico