Polícia Civil fecha abrigo clandestino em Itapemirim

Publicado em 21/01/2023 às 13:55

Compartilhe

Policia-Civil-fecha-abrigo-clandestino-em-Itapemirim

Texto: Matheus Zardini | Foto: Polícia Civil

A Delegacia Regional (DR) de Itapemirim fechou, nesta quinta-feira (19), um abrigo clandestino localizado no distrito de Itaipava, em Itapemirim. No local, havia 11 pacientes, entre idosos, pessoas com deficiência e dependentes químicos. Um inquérito policial foi instaurado para apurar os crimes praticados por uma suspeita com idade de 50 anos.

A ação foi realizada pela Polícia Civil do Espírito Santo (PCES), com a participação de servidores da Vigilância Sanitária e das secretarias de Ação Social e Saúde do município, além de profissionais de apoio do Centro de Referência Especializado da Assistência Social (Creas).  

Nessa terça-feira (17), os policiais receberam a informação da Vigilância Sanitária de Itapemirim, detalhando que possivelmente existia um asilo clandestino no distrito de Itaipava, no município. Eles disseram também que tentaram entrar no local, mas a responsável pelo imóvel não permitiu a entrada.

“Representamos pelo mandado de busca e apreensão e fomos cumpri-lo nesta quinta-feira (19). No local, encontramos idosos, pessoas com deficiência e dependentes químicos. Além disso, neste abrigo havia uma jovem que estava com duas crianças. Ela disse que foi visitar a mãe que era interna e que estava lá há quinze dias”, contou o titular da Delegacia Regional de Itapemirim, delegado Djalma Pereira Lemos.

Os pacientes tinham entre 40 e 84 anos. Durante as diligências no local, não ficou constatado maus-tratos, já que todos estavam bem alinhados e havia bastante comida na dispensa. Entretanto, eram os próprios idosos que desempenhavam funções dentro do abrigo, como porteiro, cozinheiro e faxineiro.

A suspeita de 50 anos informou aos policiais que eles eram parentes e os idosos não relataram maus-tratos, porém as investigações apontaram que ela recebia valores para que os idosos ficassem no local, como Bolsa Família, pensão e Pix. Além disso, ficou constatado que o abrigo funcionava há mais de três anos. Foi instaurado um inquérito policial para apurar os crimes cometidos pela suspeita.

Os internos foram identificados, catalogados e aqueles com famílias identificadas estão reinseridos aos familiares. Enquanto que os idosos sem família identificadas serão levados para um abrigo regular e os remanescentes para outros locais de acolhimento. A Polícia Civil recomenda que quem tiver conhecimento de outras clínicas ou asilos clandestinos que denunciem no Disque-Denúncia 181. 

Fonte: Polícia Civil do Espírito Santo

Veja também

agro-17-06-ft-AgroUrbano-maquina-secadora-cafe

Equipamento promete secagem de cafés especiais em menos de 24 horas

geral-17-06-ft-Ricardo-Medeiros-terceira-ponte

Governo do Estado inicia remoção das cabines da Terceira Ponte

saude-17-06-ft-sesa

Neurocirurgia transformadora: a jornada de dona Florentina para recuperar a fala e a mobilidade

geral-17-06-ft-Reproducao-Agencia-Brasil-termometro

Inverno começa nesta semana com temperaturas acima da média

politica-17-06-ft-Paulo-Pinto-Agencia-Brasil-pl-aborto

Após PL do aborto na Câmara, Senado discute o tema nesta segunda-feira

brasil-17-06-ft-reproducao-chuvas-RS

Ministro presta suporte após temporal em São Luiz Gonzaga, no Rio Grande do Sul

producao-industrial

Produção industrial cresce 6,2% no Espírito Santo

incendio-instalacao-eletrica

Saiba como evitar incêndios em instalações elétricas