Pelo terceiro mês seguido, estado do Rio tem risco baixo para covid-19

Publicado em 12/11/2021 às 21:20

Compartilhe

© Tomaz Silva/Agência Brasil


O Mapa de Risco da Covid-19, divulgado nesta sexta-feira (12), indica que, pela 11ª semana consecutiva, o estado do Rio está com bandeira amarela, o que significa risco baixo para transmissão da covid-19. Segundo a Secretaria de Estado de Saúde, esta é também a terceira semana seguida que a Região Metropolitana l, que abrange a capital e a Baixada Fluminense, fica classificada na bandeira verde, com risco muito baixo para a doença.

Cada bandeira representa um nível de risco e um conjunto de recomendações de isolamento social, que variam entre as cores roxa (risco muito alto), vermelha (risco alto), laranja (risco moderado), amarela (risco baixo) e verde (risco muito baixo).

De acordo com o secretário estadual de Saúde, Alexandre Chieppe, o Mapa de Risco mostra, mais uma vez, a consolidação na queda dos indicadores epidemiológicos e assistenciais da covid-19. Chieppe disse que isso é reflexo da cobertura vacinal no estado, que já alcançou mais de 50% de toda a população do estado imunizada com as duas doses. “Por isso, é importante que a população continue se vacinando e retorne aos postos para receber a segunda dose”, afirmou o secretário.

Idosos

Segundo a secretaria, outro dado importante é o retrocesso da pandemia da covid-19, quando são levadas em conta as internações de idosos. Em outubro, as internações de pessoas com mais de 70 anos caíram 77% em relação às registradas em setembro. Foram internados 2.373 idosos em setembro e 546, em outubro.

A única região do estado que apresentou risco moderado para covid-19 (bandeira laranja) foi a centro-sul. A alteração nessa área deve-se à ocorrência de dois óbitos no período analisado. Como no mapa anterior, houve um óbito, isso representou aumento de 100% nos dados.

A análise compara as semanas epidemiológicas 43 (24 a 30 de outubro) e 41 (10 a 16 de outubro).

Em nota, a Secretaria de Saúde informa que, na média geral do estado, o número de internações por síndrome respiratória aguda grave (SRAG) caiu 37% e o de óbitos, 59%, quando comparadas as semanas epidemiológicas 43 e 41.

Conforme a nota, com o avanço da vacinação e a queda nos índices de transmissão da doença, a taxa de ocupação segue em queda sustentável. “A de UTI está em 29% e a de enfermaria, em 17%. Todas as regiões de saúde apresentaram taxa de ocupação inferior a 50%”, diz o texto.

Edição: Nádia Franco

Fonte: EBC Saúde

Veja também

© Marcelo Camargo/Agência Brasil

Covid-19: país tem 22,1 milhões de casos e 615,5 mil mortes

107939

Subida dos juros deve provocar desaceleração na economia, diz Guedes

© Marcelo Camargo/Agência Brasil

Ministério oferece mais de 21,5 mil vagas para Médicos pelo Brasil

107935

Em relatório preliminar, deputado destina R$ 16,2 bilhões para orçamento secreto

107933

Nova proposta de reforma trabalhista quer proibir motoristas de app na CLT

107931

Pais de autor de massacre em escola de Michigan são presos

107929

Biden e Putin farão reunião sobre tensões na Ucrânia

© Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Brasileiros devem redobrar cuidados no verão contra câncer de pele