O que esperar das eleições na França com Macron, Le Pen e Mélenchon

Publicado em 10/04/2022 às 09:11

Compartilhe

eleicoes-na-franca

A França realiza neste domingo (10) o primeiro turno das eleições presidenciais . As pesquisas eleitorais mostram que a disputa deve ser a mais acirrada das últimas décadas no país e deve ser resolvida apenas em 24 de abril, data do segundo turno.

A pesquisa pesquisa Ipsos Sopra Steria Cevipof para o jornal Le Monde divulgada na quarta-feira (6) mostra o candidato à reeleição, Emmanuel Macron, liderando com apenas 5 pontos de vantagem em relação à representante da extrema-direita, Marine Le Pen.  Jean-Luc Mélenchon, representante da esquerda, também vem subindo nas pesquisas e pode surpreender.

Se os números das pesquisas se confirmarem, Macron e Le Pen se enfrentarão no segundo turno, como aconteceu na eleição passada, em 2017. Segundo simulação da Ipsos, Macron seria reeleito com 54% dos votos.

Para Leandro Consentino, cientista político e professor do Insper, embora Le Pen venha diminuindo a vantagem em relação a Macron, o atual presidente tem boas chances de ser reeleito.

“Macron corre risco como todo político disputando reeleição, mas eu não vejo um grande risco, sobretudo porque existe um segundo turno. A gente tem que saber que, apesar de Macron parecer estar perdendo força nessa etapa final, existe uma segunda volta onde um só desses candidatos mais ‘extremos’ deve passar, e Macron pode aglutinar o outro lado no segundo turno. Mas risco sempre existe.”

Uma eventual derrota de Macron fatalmente traria uma mudança significativa na política externa e interna da França. Isso porque o atual presidente é considerado um político moderado e dado a diálogos bilaterais. Já Le Pen e Mélenchon representam polos opostos: o conservadorismo e uma esquerda arraigada, respectivamente.

“Seria uma guinada, sem dúvida nenhuma. Hoje nós temos um centrista, e ele cederia espaço a um presidente ou à esquerda ou à direita, com todas as prerrogativas e idiossincrasias que um governo de direita ou esquerda podem carregar. O governo da chamada direita, mais conservador, menos afeito a questão das minorias, por exemplo, mais ligada a essa agenda conservadora certamente tomaria parte na França caso Le Pen ganhe. E um governo mais à esquerda, estadista, voltado às questões sociais sem a moderação e as pontes necessárias com setores produtivos seria evidentemente o que o Mélenchon traria para o governo”, avalia Consentino.

Ariane Roder, Cientista política e professora do Coppead/UFRJ, chama atenção para as consequências de um eventual êxito de Le Pen no âmbito da política externa.

Fonte: Portal iG

Veja também

Moradores-de-Marechal-Floriano-lutam-contra-a-violencia-sexual-de-criancas-e-adolescentes

Moradores de Marechal Floriano lutam contra a violência sexual de crianças e adolescentes

Musica-sorteios-e-celebracoes-religiosas-na-Festa-de-Sao-Cristovao-no-Trevo-de-Paraju-1

Música, sorteios e celebrações religiosas na Festa de São Cristóvão no Trevo de Paraju

Avenida-movimentada-de-Marechal-Floriano-tera-redutores-de-velocidade-1

Avenida movimentada de Marechal Floriano terá redutores de velocidade

Alerta-para-possiveis-impactos-do-frio-e-da-geada-na-agricultura-brasileira

Alerta para possíveis impactos do frio e da geada na agricultura brasileira

Espirito-Santo-esta-em-alerta-vermelho-para-frio-intenso-e-geada-ate-sabado-1

Espírito Santo está em alerta vermelho para frio intenso e geada até sábado

Morador-de-Afonso-Claudio-e-um-dos-mortos-no-acidente-ocorrido-na-BR-262-1

Morador de Afonso Cláudio é um dos mortos no acidente ocorrido na BR-262

Londres-rainha-Elizabeth-aparece-de-surpresa-em-inauguracao-de-metro

Londres: rainha Elizabeth aparece de surpresa em inauguração de metrô

Homem-e-preso-acusado-de-matar-o-cunhado-em-Brejetuba

Homem é preso acusado de matar o cunhado em Brejetuba