Moradores depositam lixo em local inadequado em Marechal Floriano

Publicado em 01/03/2021 às 14:44

Compartilhe

Parte dos restos domiciliares e comerciais ainda está sendo descartada na Praça Santa Rita, centro de Marechal Floriano, após a retirada de uma lixeira. A remoção foi feita a pedido de moradores. Outros, entretanto, não estão satisfeitos com a retirada da lixeira. As sacolas são depositadas no piso da praça e na calçada.

Com o descarte das sacolas ao chão, alguns moradores e visitantes ficaram insatisfeitos e preferem que as pessoas carreguem em menos de 50 metros ou menos o lixo na sacola e o descarte no local adequado.

Um dos comerciantes, Vicente Marques afirma que não é difícil as pessoas se aproximarem da lixeira que foi posta em outra via, que não é distante. “Todos deveriam proceder como fazemos, indo levar até o novo local as sacolas de lixo e não descartar no piso que acaba espalhado pela calçada e rua exalando mau cheiro”.

O secretário municipal de Obras e Serviços Urbanos, Antônio Malini, comentou que as pessoas podem até escolher entre os dois atuais locais de descarte, já que a modificação foi solicitada por parte dos moradores que já não queriam os depósitos no local antigo. “O local adequado para o descarte do lixo fica distante apenas 50 metros da praça. É simples para manter tudo limpo e satisfazer a todos”, disse.

Veja também

96787

Mega-Sena: duas apostas dividem prêmio de R$ 23,5 milhões

96785

Cachorros de Cingapura se tornam influencers no Instagram

© Myke Sena/MS

Covid-19: Brasil tem 21,2 milhões de casos e 590,5 mil mortes

© Luiz Erbes/S.E.R. Caxias/Direitos Reservados

Caxias elimina Portuguesa nos pênaltis e está nas oitavas da Série D

© Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Fiocruz entrega 4,5 milhões de vacinas contra a covid-19

futebol-em-mf

Termina competição de futebol infantil em Marechal Floriano

© Breno Esaki/Agência Saúde

DF anuncia vacinação de jovens de 13 anos a partir de terça-feira

© Marcello Casal JrAgência Brasil

Dia Mundial do Doador de Medula Óssea muda cores do Congresso Nacional