Linhares sedia curso sobre Monitoramento de moscas-das-frutas em mamoeiros

Publicado em 06/12/2022 às 14:35

Compartilhe

Linhares-sedia-curso-sobre-Monitoramento-de-moscas-das-frutas-em-mamoeiros

Em novembro, o município de Linhares sediou um curso sobre o monitoramento de moscas-das-frutas, destinado à inserção no Programa de Exportação de Mamão do Brasil para os Estados Unidos (EUA). O monitoramento da praga na lavoura é uma das oito práticas oficialmente estabelecidas pelo Systems Approach, uma tecnologia que não traz impactos negativos para o meio ambiente e que atende à segurança quarentenária exigida pelo país importador, evitando e/ou reduzindo a zero o risco de infestação dos frutos.

O treinamento foi realizado pelo Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), em parceria com Secretaria da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag), a partir de uma demanda da Associação Brasileira das Empresas Produtoras e Exportadoras de Papaya (Brapex), a fim de reforçar as questões técnicas que envolvem o monitoramento das espécies de moscas-das-frutas, uma prática obrigatória estabelecida no Plano de Trabalho Operacional do Programa de Exportação de Mamão do Brasil para os Estados Unidos.

Participaram da atividade os técnicos do Incaper, da Seag, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e das empresas de exportação de mamão Union of Growers of Brazilian Papaya (UGBP), Frutmel e Caliman Agrícola. Os treinamentos foram realizados em duas etapas. A parte teórica ocorreu na unidade do Mapa em Linhares e a parte prática na Fazenda Santa Terezinha, da Caliman Agrícola, também localizada no município.

O curso foi ministrado pelo entomologista David dos Santos Martins, pesquisador voluntário do Incaper e bolsista da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes). Ele destacou que o Incaper realiza este curso desde o início do estabelecimento do Programa de Exportação de Mamão do Brasil para os Estados Unidos, em setembro de 1998.

“Os resultados obtidos nesse programa foram tão expressivos e em tão pouco tempo que fez os Estados Unidos se tornarem um dos maiores importadores de mamão brasileiro. Desde o início dessas atividades até dezembro de 2021, foram exportadas 84,05 mil toneladas de frutas, gerando nesse período US$ 91,03 milhões, que corresponde a 93,1% do valor exportado de mamão para esse mercado”, disse David Martins.

De acordo com o entomologista, é preciso que os técnicos estejam atentos já que no Brasil existem duas espécies de moscas-das-frutas que infestam frutos do mamoeiro, que são as C. capitata (Wied.) e Anastrepha fraterculus (Wied.), com predominância da primeira.

“Elas são as mais importantes pragas para a fruticultura brasileira, por infestarem a maioria das frutas e por dificultar as exportações de frutas frescas, devido às restrições quarentenárias dos países importadores. O mamão também sofre estas restrições apesar de ser hospedeiro secundário de moscas, que depositam seus ovos nos tecidos vivos das plantas”, explicou Martins.

Ele lembrou que o Brasil deixou de exportar mamão para o mercado norte-americano durante 13 anos e retornou a esse mercado somente após o desenvolvimento do Systems Approach, aplicado de forma pioneira no Brasil, no Polo de Mamão do Espírito Santo, que reduz os riscos de infestação pelas moscas-das-frutas. “Esse sistema tem forte base biológica e ecológica, integrando fatores biológicos da praga, fisiológicos da fruta e operacionais de boas práticas na pré-colheita e pós-colheita dos frutos, conferindo a segurança quarentenária exigida pelos países importadores e sem tratamento pós-colheita”, pontuou.  

Ainda segundo o pesquisador, diferentemente de outros processos, o Systems Approach é uma tecnologia “limpa” e que não traz impactos negativos para o meio ambiente. “Ela dispensa qualquer tipo de tratamento quarentenário pós-colheita, normalmente baseados em processos químicos empregando agrotóxicos ou em processos físicos, como frio, calor e radiação”, completou

Entre os temas trabalhados durante o curso, estiveram a importância das moscas-das-frutas, tipos de danos, frutos hospedeiros, biologia e ciclo de vida da praga, e conceito de pragas quarentenárias; prejuízos que causam as frutas e as exportações de frutas in natura entre países; e métodos de controle e tratamentos quarentenários utilizados para o comércio internacional de frutas.

Outros assuntos abordados foram a taxonomia das espécies de moscas-das-frutas e a apresentação geral do plano de trabalho do Systems Approach, além de, detalhadamente, o monitoramento de moscas-das-frutas. Na parte prática, que foi realizada em uma lavoura de mamão, os técnicos acompanharam e fizeram a instalação das armadilhas, troca de atrativos e avaliaram in loco a triagem das espécies-alvo de moscas-das-frutas coletadas nas armadilhas, instaladas na semana anterior ao curso.

O monitoramento tem como objetivos acompanhar a densidade populacional nas lavouras para certificar se os índices das moscas-das-frutas se encontram dentro dos limites exigidos; determinar se existe infestação nas lavouras e indicar a necessidade, ou não, de medidas corretivas de controle, conforme determina o Plano Operacional do Programa de Exportação.

Fonte: Incaper

Veja também

geral-17-06-ft-Ricardo-Medeiros-terceira-ponte

Governo do Estado inicia remoção das cabines da Terceira Ponte

saude-17-06-ft-sesa

Neurocirurgia transformadora: a jornada de dona Florentina para recuperar a fala e a mobilidade

geral-17-06-ft-Reproducao-Agencia-Brasil-termometro

Inverno começa nesta semana com temperaturas acima da média

politica-17-06-ft-Paulo-Pinto-Agencia-Brasil-pl-aborto

Após PL do aborto na Câmara, Senado discute o tema nesta segunda-feira

brasil-17-06-ft-reproducao-chuvas-RS

Ministro presta suporte após temporal em São Luiz Gonzaga, no Rio Grande do Sul

producao-industrial

Produção industrial cresce 6,2% no Espírito Santo

incendio-instalacao-eletrica

Saiba como evitar incêndios em instalações elétricas

agricultura-familiar

Governo e Assembleia anunciam investimento de R$5 milhões na Agricultura Familiar