Jovem que esfaqueou e matou deputado no Reino Unido responderá por homicídio

Publicado em 21/10/2021 às 12:21

Compartilhe

101435


source
Jovem que esfaqueou e matou deputado no Reino Unido responderá por homicídio
Reprodução/Twitter

Jovem que esfaqueou e matou deputado no Reino Unido responderá por homicídio

O britânico Ali Harbi Ali, 25 anos, que assassinou a facadas o parlamentar conservador David Amess  no dia 15 de outubro responderá formalmente por homicídio com agravante de preparação de ato terrorista, informou a polícia nesta quinta-feira (21).

O procedimento penal foi iniciado no Crown Prosecution Service, que pontuou que as acusações têm base em toda a investigação feita pela Scotland Yard.

“Nós vamos submeter à corte que esse assassinato tem uma conexão terrorista, incluindo motivações por religião e ideologia”, afirmou um dos acusadores, Nick Price.

Harbi Ali foi preso local após o crime, que ocorreu dentro de uma igreja britânica onde Amess prestava conta de seu mandato com eleitores. A polícia chegou a fazer buscas em outras duas casas de Londres, mas ninguém além do jovem foi preso pelo crime.

O autor do crime é britânico, mas é filho de um ex-conselheiro do governo da Somália. Não há explicações formais sobre o que o levou a assassinar Amess – e não ter ferido mais ninguém no local do crime, como normalmente ocorre em ataques terroristas feitos por “lobos solitários”. 

Fonte: IG Mundo

Veja também

107714

Cumbre Vieja: mais de 6 mil pessoas ficam desabrigadas por conta das erupções

107712

Alemanha: Merkel se despede após 16 anos como chanceler

107710

Polícia prende homem que estava armado em frente à sede da ONU nos EUA

© Raquel Portugal/FioCruz

Boletim da Fiocruz sinaliza aumento de casos de SRAG em 13 estados

© NIAID

Ministério confirma cinco casos da variante Ômicron no Brasil

© NIAID

País segue tendência estável de transmissão da covid-19

© Arquivo/Gilberto Marques/Governo do Estado de São Paulo

Rio monta estrutura extra para atender casos de gripe

107700

Auxílio gás e Alimenta Brasil são regulamentados por Bolsonaro