Iniciativa da UNCTAD ajudará o Brasil a maximizar uso de tecnologia geoespacial para o desenvolvimento urbano

Publicado em 27/02/2024 às 15:45

Compartilhe

mundo-27-02-onu-Shutterstock-Mihai-Andritoiu-rocinha

A Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD) e o Atlantic International Research (AIR) Centre lançam parceria para alavancar o emprego da tecnologia geoespacial para o desenvolvimento urbano sustentável.

Brasil e África do Sul participarão da iniciativa global anunciada durante seminário sobre observação da Terra organizado nos Açores, em Portugal. 

O primeiro evento da iniciativa será realizado no Rio de Janeiro de 3 a 5 de abril, e reunirá cientistas e formuladores de políticas públicas do Brasil e da África do Sul, além de especialistas da UNCTAD e pesquisadores de várias partes do mundo. 

A UNCTAD anunciou parceria com o Atlantic International Research (AIR) Centre, uma organização sem fins lucrativos, para apoiar o Brasil e a África do Sul a aumentar as suas capacidades de observação da Terra.

As tecnologias espaciais podem revolucionar a forma como os países capturam, visualizam e analisam dados sobre a superfície da Terra, tais como áreas propensas a desastres, qualidade local do ar e da água e redes de transporte.

O trabalho conjunto irá dotar ambos os países com dados necessários para apoiar o planejamento e a gestão urbana baseados em evidências, e para acompanhar o progresso em direção aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS)

A iniciativa foi anunciada no seminário global sobre observação da Terra realizado nos Açores, Portugal, entre 8 e 12 de janeiro. O evento teve como foco aprimorar a análise geoespacial usando ‘Julia’, uma linguagem de programação inovadora de código aberto desenvolvida pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT).

O evento reuniu mais de 240 cientistas e investigadores de instituições de ponta, como o MIT e a Universidade de Harvard, e agências espaciais nacionais da Bélgica, Brasil, Dinamarca, Polônia, Portugal, África do Sul e Estados Unidos.

Catalisador para cidades mais inteligentes, mais resilientes e inclusivas

A iniciativa faz parte de um projeto de dois anos, até 2025, intitulado “Aproveitar aplicações tecnológicas espaciais no desenvolvimento urbano sustentável”.

“Este projeto responde à necessidade de apoiar ainda mais os países em desenvolvimento, especialmente as mulheres cientistas, para utilizarem a tecnologia geoespacial como catalisador para cidades mais inteligentes, mais resilientes e inclusivas”, afirma a economista da UNCTAD Eugenia Núñez.

A nova iniciativa UNCTAD-AIR deverá realizar seu primeiro evento no Rio de Janeiro, no Brasil, de 3 a 5 de abril de 2024.

Os parceiros locais e os gestores políticos irão explorar formas de utilizar a linguagem de programação ‘Julia’ para integrar dados de observação da Terra, de saúde e socioeconômicos, à medida que intensificam os esforços para melhorar as condições de vida nos assentamentos informais da cidade.

Fonte: ONU/ Foto: Shutterstock/Mihai_Andritoiu

Veja também

brasil-12-04-ft-secretaria-municipal-de-sao-sebastiao

Justiça liberta donos dos cães que atacaram a escritora Roseana Murray

geral-01-03-Luciano-Rocha-STJ

Manter foro privilegiado mesmo ao deixar cargo é voto da maioria no STF

cultura-12-04-ft-div

Fames celebra Semana da Voz com performances eruditas e populares de Jacob do Bandolim a Vivaldi

esportes-12-04-ft-div-gov-es

Remo Paralímpico do Vitória FC fatura ouro na 1ª regata de 2024

esportes-12-04-ft-divulg

Final do Capixabão 2024 será transmitida em varias emissoras neste sábado (13)

AGRO-12-04-FT-GOV-ES-DIVUL

Feira ES+Café promove imersão no universo da cafeicultura capixaba

geral-11-04-Reproducao-Banco-Central

Banco Central lança moeda de R$ 5 em comemoração ao bicentenário da constituição do pais

geral-11-04-freepik

Ifes lança editais com 1.045 vagas em cursos técnicos a distância e presencial