Governadores estudam ir ao STF contra ajuste no ICMS de combustíveis

Publicado em 14/10/2021 às 18:51

Compartilhe

100466


source
Estados dizem que projeto aprovado pela Câmara prejudica receitas dos estados
Reprodução/ Proteste.org

Estados dizem que projeto aprovado pela Câmara prejudica receitas dos estados

Um grupo de governadores articulam recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra o projeto aprovado na Câmara dos Deputados que ajusta o ICMS dos combustíveis nos estados. Para o Comitê Nacional dos Secretários de Fazenda Estaduais (Comsefaz), a receita dos estados será prejudicada caso a medida seja promulgada.

A proposta estipula uma alíquota fixa cobrada nos combustíveis e usada como referência a cobrança dos últimos dois anos. Segundo o Comsefaz, os estados podem perder até R$ 24 bilhões e municípios R$ 6 bilhões.

O governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PL), afirmou que o prejuízo aos estados é irreparável. A expectativa é de recuo de R$ 1,3 bilhão por ano apenas no estado carioca.

“Se reduzíssemos para 25%, uma alíquota praticada em muitos estados, perderíamos R$ 500 milhões. O Rio de Janeiro topa rediscutir toda a cadeia para abaixar o preço para a população. O que não dá é cortar ICMS e a Petrobras continuar aumentando. Tem que ter uma política para reduzir em toda a cadeia”, disse ao jornal Folha de S. Paulo .

“É um projeto que impacta muito o Rio de Janeiro. A perspectiva é que o Rio perca quase R$ 1,3 bilhão por ano. Um estado que está em recuperação fiscal”, concluiu.

Leia Também

O projeto foi encaminhado ao Senado, que deve aprovar o projeto sem grandes resistências. Na visão dos senadores, essa seria uma medida temporária para reduzir os preços dos combustíveis.

O governador do Piauí e presidente do Consórcio Nordeste, Wellington Dias (PT), rebate as declarações e lembra que os reajustes são praticados pela Petrobras. Segundo Dias, o Congresso Nacional não poderia intervir em um imposto estadual.

“Estou impressionado como votam no Congresso Nacional um projeto sobre tributação estadual. Não há autorização constitucional para aqueles preceitos”, disse à Folha .

O governador também lembrou que a aprovação do projeto reforça a tese do presidente Jair Bolsonaro de que a culpa do preço dos combustíveis é dos estados. Para Dias, a afirmação é temerária, já que a maioria dos estados não pratica reajuste no imposto há pelo menos um ano.

“O forte aumento que os preços dos combustíveis sofreram nada tem a ver com ICMS. Os preços vão continuar subindo e isso vai desmoralizar a todos”, concluiu.

Veja também

107394

Telebras e ICMBio estão com quase duas mil vagas abertas em concursos; confira

107392

CAGED aponta criação de 253 mil empregos formais em outubro no país

107390

Avião atinge grupo de garças, tem motor obstruído e pousa em chamas; veja vídeo

107388

Guedes admite uso do orçamento secreto para conseguir apoio do Congresso

© Alexandre Vidal / Flamengo/Direitos Reservados

Coluna – E se o Michael tivesse marcado o gol no fim da decisão?

107384

Petrobras confirma dividendos de até US$ 70 bilhões entre 2022 e 2026; entenda

© REUTERS/Thomas Peter/Direitos Reservados

China confirma Jogos de Inverno apesar da variante ômicron da covid-19

Shopping online concept - Parcel or Paper cartons with a shopping cart logo in a trolley on a laptop keyboard. Shopping service on The online web. offers home delivery.

Entenda o imenso impacto do e-commerce no varejo brasileiro