Fugitivos de Mossoró invadem galpão de fazenda e polícia faz cerco

Publicado em 04/03/2024 às 08:25

Compartilhe

policia-04-03-Ayrton-Freire-Inter-TV-Cabugi

A força-tarefa que busca os fugitivos da penitenciária de Mossoró, Deibson Nascimento e Rogério Mendonça, realizou neste domingo (3) um novo cerco em uma fazenda na cidade de Baraúna, no Rio Grande do Norte, onde moradores disseram ter visto os criminosos durante a madrugada.

De acordo com investigadores, os fugitivos teriam invadido um galpão agrícola na propriedade. Os helicópteros começaram a sobrevoar o trecho em busca dos fugitivos pela manhã. Drones com sensores térmicos também passaram a ser utilizados. As informações são da TV Globo.

Deibson Nascimento e Rogério Mendonça são procurados por autoridades após fuga da Penitenciária de Segurança Máxima de Mossoró (RN)
Secretaria Nacional de Políticas Penais/Divulgação Deibson Nascimento e Rogério Mendonça são procurados por autoridades após fuga da Penitenciária de Segurança Máxima de Mossoró (RN)

Segundo os investigadores, os foragidos invadiram o galpão e chegaram a agredir o proprietário do local, quando ele informou que não tinha um celular. Depois, os foragidos fugiram mais uma vez. Os investigadores acreditam que os criminosos estavam em busca de alimentos.

O proprietário da fazenda acionou os policiais e foi convocado para prestar depoimento. A força-tarefa também informou que os dois detentos teriam sido vistos no sábado (2) em um assentamento agrícola próximo a uma plantação de bananas  onde eles foram flagrados por duas agricultoras na quinta-feira (29).

Deibson e Rogério fugiram da Penitenciária Federal de Mossoró no dia 14 de fevereiro. Foi a primeira fuga registrada no sistema prisional federal, criado em 2006.

Buscam entram no 19º dia

Neste domingo (3/3) operação fez cerco em área de plantação na zona rural de Baraúna para recapturar fugitivos da Penitenciária Federal de Mossoró
Ayrton Freire/Inter TV Cabugi Neste domingo (3/3) operação fez cerco em área de plantação na zona rural de Baraúna para recapturar fugitivos da Penitenciária Federal de Mossoró

As buscas entraram no 19º dia neste domingo (3) e se concentram desde o início nas áreas rurais das cidades de Mossoró e Baraúna, que são ligadas pela RN-015, onde fica a penitenciária.

Os investigadores acreditam desde o início da fuga que os foragidos permanecem pela região, fato que tem sido reforçado por pistas deixadas ao longo dos dias. Até o momento, seis pessoas suspeitas de acobertarem a fuga já foram detidas

A mais recente foi um homem que não teve a identidade revelada que acabou preso na última quinta-feira (29), em Fortaleza (CE), sob suspeita de ajudar os dois presidiários fugitivos.

O primeiro foi preso no último dia 21 e, no dia seguinte, outros dois foram presos em flagrante portando armas e drogas.  No dia 23 de fevereiro, o irmão de um dos fugitivos  também foi preso em Rio Branco (AC) . O homem, que não teve a identidade revelada, tinha um mandado de prisão em aberto contra ele.

O penúltimo a ser preso foi o dono do sítio que abrigou os fugitivos e que detinha o esconderijo na mata.  Ele recebeu R$ 5 mil para realizar esta tarefa.

Fonte: Portal IG/ Foto: Ayrton Freire/Inter TV Cabugi

Veja também

mundo-24-04-ft-JIM-WATSON

EUA promete enviar ajuda militar à Ucrânia nas próximas horas

politica-24-04-freepik-arma

Projeto quer estabelecer multa para crimes com arma de fogo

agro-24-04-ft-Arquivo-Paulo-Cordeiro

Agricultores familiares acessam políticas públicas de comercialização e melhoram renda com apoio do Incaper

geral-24-04-ft-div

Projeto Jovem Perito da Polícia Científica está com agenda de 2024 aberta

saude-24-04-ft-freepik

Lacen confirma circulação de Febre do Oropouche no Espírito Santo

geral-23-04-Foto-Osvaldo-Paula-Galote-Junior

Dia Mundial do Livro: leitura transformou a vida de um jovem em Domingos Martins

geral-23-04-ft-div

Programa Acredita começa hoje e prevê facilidade aos MEIs em negociação de dívidas

geral-23-04-ft-div-gov-es

Espírito Santo registra redução nas taxas de pobreza e extrema pobreza