VIDA SAUDÁVEL

Vida Saudável

Pediatra explica o que os pais devem ou não fazer para superar a seletividade alimentar das crianças

Publicado em 07/07/2023 às 09:37

Compartilhe

Colunas-Montanhas-capixabas-Vida_Saudavel2

Foto: Freepik

Quando a criança apresenta seletividade alimentar, ou seja, quando ela rejeita determinados alimentos, garantir uma nutrição saudável, que proporcione o desenvolvimento adequado dela, se torna um desafio ainda maior. No entanto, essa fase pode ser superada com paciência, determinação e conhecimento por parte dos pais.  

A pediatra Heloísa Helena Ramos Gonçalves explica que o primeiro passo é conseguir identificar quando a seletividade alimentar está acontecendo. A médica explica que ela ocorre quando a criança apresenta pelo menos um dos seguintes comportamentos: 

  •   Recusa ou baixa aceitação alimentar, principalmente de hortaliças e frutas; 
  • Pouco apetite e desinteresse pela comida; 
  • Dificuldade em experimentar alimentos novos; 
  • Aceitação de pequena variedade de alimentos ou de marcas, pouca diversificação no modo de preparo e apresentação específica, exigindo dos pais a disponibilidade de seus alimentos preferidos; 
  • Agitação, choro ou reação agressiva no momento das refeições; 

Identificado o problema é o momento de agir! O segredo está na persistência.  “Se a criança criar bons hábitos alimentares, será muito mais fácil mantê-los pelo resto da vida”, alerta Heloisa. A médica explica, por exemplo, que a dificuldade em aceitar alimentos novos, chamada de neofobia, é um comportamento natural que começa aos 18 meses e se resolve com exposições repetidas ao alimento”, diz Heloisa.  

Outro comportamento comum é a preferência pelo sabor doce. “O sabor doce é inato ao ser humano, já os demais sabores precisam ser aprendidos. Para aceitar um novo alimento, a criança pode precisar experimentá-lo de 8 a 15 vezes”, destaca a pediatra.  

Uma fase que costuma preocupar os pais é a pré-escolar, quando a criança pode apresentar comportamento alimentar imprevisível e variável. Ela pode comer muito em alguns momentos e quase nada em outros, ter um alimento favorito hoje, mas recusá-lo no dia seguinte ou mesmo pedir um único alimento por muitos dias seguidos.  

Mas, segundo Heloísa, o importante é que os adultos considerem essas fases como passageiras. “Se os pais não considerarem esses comportamentos como transitórios e forçarem a criança a comer, os comportamentos poderão se transformar em uma dificuldade alimentar real e perdurar em outras fases da vida”, alerta a especialista.  

Para garantir que a seletividade passe, a pediatra lista as principais dicas: 

O apetite varia de acordo com a idade, atividade física, emocional, condições gerais de saúde, refeição anterior e a temperatura ambiente. Portanto, os pais devem determinar o que a criança vai comer ao escolher os alimentos que serão disponibilizados em cada refeição e a criança determina o quanto vai comer, de acordo com seu apetite; 

  •   Não estimule a “raspar” o prato, pois a criança pode perder a capacidade de perceber a própria saciedade; 
  •   Não ofereça recompensas, chantagens, subornos ou castigos para forçar a criança a comer; 
  • Lembre-se: a recusa a determinados alimentos pode ser uma tentativa de chamar a atenção dos pais para algo que não está bem.
  • Ofereça apenas água nos intervalos; 
  •   Evite porções grandes, pois podem “desencorajar” a criança a comer; 
  •    Limite as refeições a um período máximo de 20 a 30 minutos. Se a criança não ingerir tudo, não substitua por outros alimentos e aguarde a próxima refeição.   
  •   Faça as refeições à mesa com a família. Esse é um ótimo momento para a criança aprender a comer de acordo com o modelo dos pais. É importante que todos comam os mesmos alimentos. 
  •   A criança aprende a partir do que vê e escuta. Orientá-la quanto a uma alimentação saudável terá pouco efeito se elas virem que os pais têm maus hábitos alimentares. 
  •   A criança deve ser encorajada a comer sozinha, mas com supervisão para evitar engasgos.   
  •  Inclua frutas e vegetais em todas as refeições e limite a preparação das “comidas favoritas”. 
  • Sirva de cinco a seis refeições ao dia, com pequenas porções de alimentos. A rotina alimentar transmite segurança à criança e, ao evitar que ela “belisque” entre as refeições, permite que ela tenha mais apetite nas refeições. 
  • No horário das refeições, todos devem desligar a TV e outros equipamentos eletrônicos. 

“Além disso, é possível envolver a criança na compra dos alimentos e apresentá-los de forma atrativa, variando texturas, cores e formas. Se as dificuldades para aceitar a alimentação persistirem ou a criança apresentar sinais de dor, desconforto ou medo de comer, procure o médico ou nutricionista. Mas é importante lembrar também que todo mundo tem direito a não gostar de alguns alimentos e isso não é um problema quando a alimentação é variada e esse alimento pode ser substituído por outros. Mas, para saber se a criança gosta ou não de verdade, é preciso deixá-la experimentar algumas vezes, em formas de preparo diferentes”, indica a especialista.

O que não fazer 

Diante da recusa alimentar da criança, a preocupação e ansiedade dos pais podem levá-los a utilizar estratégias de alimentação inadequadas. Por isso, Heloisa Helena indica que os pais evitem: 

  • Alimentar a criança durante o sono; 
  • -Brigar, ameaçar ou discutir no momento das refeições; 
  • Forçar a criança a comer; 
  • Usar distrações, como vídeos, brinquedos, etc; 
  • Oferecer recompensas em troca da aceitação da comida, como um brinquedo, passeio ou sobremesa. 

Fonte: Unimed Vitória  

Veja também

policia-21-02-pces

Polícia Civil prende em flagrante suspeito de homicídio em Conceição de Castelo

policia-21-02-mf

Bicicleta e moto são furtadas e um micro-ônibus é arrombado em bairro de Marechal Floriano

geral-21-02-divulg-sala-empreendedor

Novos serviços da Receita Federal são implementados na Sala do Empreendedor de Marechal Floriano

turismo-21-02-setur

Setur debate avanços no projeto de turismo de cruzeiros no Espírito Santo

saude-21-02-Helio-Filho-Secom

Espírito Santo institui Centro Integrado de Comando e Controle de Arboviroses

mundo-21-02-Thomas-White-UNRWA-via-X

Israel atacou comboio de ajuda alimentícia da ONU em Gaza

mat-paga-21-02-mundo-freepik

A Era de Ouro das Docuseries: Como as séries documentais estão cativando o público em todo o mundo

brasil-21-02-Divulgacao-Prefeitura-do-Rio

Chanceleres do G20 debatem reforma da governança global e crise internacional em encontro no RJ

Últimos artigos de Vida Saudável

Cirurgião da coluna vertebral alerta sobre os perigos do uso descontrolado de opióides

Nutricionista ensina receitas saudáveis para as ceias de Natal e Ano Novo

Cuidados com a saúde das crianças no verão

Álcool no organismo: saiba o que acontece e como eliminar

Três em cada quatro casos de câncer de boca e laringe são diagnosticados nos homens e em fase avançada