Fogos de artifício: como proteger os pets durante o réveillon

Publicado em 30/12/2023 às 11:36

Compartilhe

Fogos-de-artificio-como-proteger-os-pets-durante-o-reveillon

A queima de fogos de artifício, marca registrada do ano novo, se transforma em pavor para cães e gatos. Essa é uma preocupação para os tutores de pets, visto que a prática comemorativa é prejudicial para a saúde dos animais, com reações variadas, que vão desde a aceleração dos batimentos cardíacos até crises de pânico. Apesar da legislação de cidades proibirem a comercialização e o uso de fogos de artifício com estampidos, não é incomum observarmos o uso destes.

Com os sentidos aguçados, o barulho dos fogos é recebido de modo inesperado e muito mais alto para os pets, principalmente para os cães. Para amenizar o pânico nesse período festivo, o professor de Medicina Veterinária do Centro Universitário de Brasília (CEUB), Bruno Alvarenga recomenda algumas condutas preventivas.

GRAVES CONSEQUÊNCIAS – O veterinário do CEUB destaca que o medo e estresse sonoro dos fogos podem resultar consequências que vão desde o óbito de aves e animais cardiopatas, crises epilépticas, desequilíbrios em animais com distúrbios comportamentais, a problemas gastrointestinais, como vômitos, diarreia e perda de apetite, além da redução no consumo de água, podendo levar a danos renais e infecções urinárias, e do comportamento de fuga.

“Não há uma conduta soberana para todos os indivíduos, podendo ser suficiente uma ou a combinação das sugestões apresentadas. Cada animal se comporta de uma forma quando exposto aos sons dos fogos, de acordo com histórico e condição médica própria”, completa o especialista.

Confira as dicas para proteger os animais dos sons dos fogos:

  • Ambiente confortável: criar um ambiente que minimize o impacto dos fogos é fundamental. Isso pode incluir deixar a televisão ou rádio ligados para competir com os estampidos;
  • Proteção auditiva: colocar um pouco de algodão nos ouvidos dos animais pode ajudar a diminuir o som;
  • Acolhimento: manter os pets no colo ou abraçados pode proporcionar uma sensação de segurança enquanto são acariciados;
  • Abrigo seguro: preparar um abrigo com toalhas ou mantas no local em que o pet costuma se esconder pode ser reconfortante;
  • Espaço silencioso: colocar os animais em um cômodo onde o som externo seja abafado, preparando um espaço acolchoado e onde possam se esconder;
  • Procure um veterinário: consultar um médico veterinário sobre a possibilidade de terapias ansiolíticas fitoterápicas ou alopáticas pode ser útil para alguns animais.

Fonte: Máquina Cohn & Wolfe

Veja também

politica-17-04-ft-Lula-Marques-Agencia-Brasil

Senado aprova PEC das drogas e texto vai para Câmara dos Deputados

cultura-17-04-gov-es

Festa da resistência dos povos indígenas tem início nesta sexta-feira em Aracruz

geral-17-04-ft-div-gov-es

Bandes promove leilão do Fundap nesta quarta-feira (17) em Vitória

saude-16-04-ft-div-gov-es

Ciatox realiza mais de 10 mil atendimentos em um ano no Espírito Santo

geral-16-04-ft-gv-es

Escola de Cachoeiro de Itapemirim inicia projetos com robótica educacional

brasil-16-04-freepik

Professores universitários estão mobilizados no Rio para definir greve

geral-16-04-pmmf

Pavimentação de estradas avança em Marechal Floriano

geral-16-04-freepik-2

Começou o prazo para solicitar isenção da taxa de inscrição do Enem