Festival Nacional de Arte e Cultura valoriza tradições culturais em Marechal Floriano

Publicado em 05/06/2024 às 08:57

Compartilhe

cultura-05-06-ft-Cicero-Festival-Arte-e-Cultura-MF-capa

Texto e fotos: Cícero Modolo

A comunidade de Bom Jesus do Morro Baixo, na zona rural de Marechal Floriano, foi palco do IV Festival Nacional de Arte e Cultura. O evento, que tem como principal objetivo a difusão e o fomento do intercâmbio cultural entre diversas expressões da cultura popular brasileira reunindo artistas e público em um dia de celebração e aprendizado.

A programação diversificada do festival, realizado no último dia 25, encantou os participantes com uma série de apresentações e atividades. Entre os destaques, estava a roda de capoeira, folia de reis, terno de reis, congo, samba indígena pataxó, além de uma feira de artesanato, recreação infantil, um almoço beneficente e muito forró. Oficinas de capoeira, percussão, agroecologia, artesanato e medicina alternativa também foram oferecidos, proporcionando uma rica experiência educativa e cultural para os presentes. Confira as fotos do evento clicando aqui.

O festival reuniu autoridades locais e estaduais, e contou com a presença do presidente da Câmara de Marechal Floriano, Cezinha Ronchi e o vereador Juarez Xavier, a analista do executivo (historiadora) da Secult/ES, Brenda Bernardes, a secretária de Cultura e Turismo, Maria Goretti Pereira Pinto Gerardth, além de membros das comunidades locais e vizinhas.

O Festival, organizado pelo Núcleo da Associação de Capoeira Força Negra, faz parte do Funcultura e tem apoio da Lei Paulo Gustavo, viabilizados por meio de edital da Secretaria de Estado da Cultura (SecultES).

O organizador do evento, José Jorge Silva, destacou a importância da iniciativa. “Este encontro cultural vai além de uma simples celebração, é uma prova do poder transformador da arte e da cultura na vida das comunidades, impactando tanto em nível local quanto nacional. Graças a essas ações, a localidade de Bom Jesus do Morro Baixo foi transformada em um ponto de memória da cultura capixaba, batizado de João dos Santos Capixaba. O povo capixaba tem uma rica diversidade, que precisa de eventos como este para fortalecer as tradições locais”, afirmou Jorge Silva.

Este ano o tema do evento é “Patrimônio Vivo”, que explora conexões com grupos locais e impulsiona a economia criativa nos comércios, turismo e cultura local. Um dos destaques do festival é o resgate da história da Banda de Terno de Reis do Bom Jesus, documentado no filme “Memória Viva de Santo Reis”, que resultou no ressurgimento do grupo após seis décadas de inatividade. O Terno de Reis do Bom Jesus foi originado no século 19, pelo Mestre João Capixaba e posteriormente foi coordenado pelo Mestre Cristiano Pinto.

O IV Festival Nacional de Arte e Cultura em Morro Baixo buscou não apenas fomentar a cultura popular na zona rural das montanhas capixabas, mas também subsidiar a manutenção dos grupos folclóricos e promover ações de salvaguarda da cultura do Espírito Santo. Além disso, o evento teve como objetivo estimular o intercâmbio cultural e fomentar a economia criativa local através da tradicional feira de artesanato.

A realização do festival em Bom Jesus do Morro Baixo demonstrou como a união de esforços entre comunidade, artistas e governo podem transformar e revitalizar a cultura local, promovendo um rico intercâmbio de saberes e práticas culturais. Uma das atrações do festival foi à exibição do documentário, Memória Viva do Santo Reis, com os depoimentos de antigos moradores demonstram a força cultural ainda presente na história da Comunidade de Bom Jesus.

Dejanira dos Santos Ferreira, conhecida na comunidade como Dona Pixula, 92 anos, foi uma das homenageadas no Festival. Ela é neta do senhor João dos Santos Capixaba, quem trouxe o Terno de Reis para a comunidade de Bom Jesus, na época.

Outra moradora da comunidade de Bom Jesus, Maria dos Santos Hertel, a Dona Moça, fala que teve o privilégio de participar das apresentações do grupo de Folia do Santo Reis quando ainda era criança. “A Folia chegava a nossas casas e abríamos as portas para receber a cantoria. Servíamos uma mesa farta e, ao sair, já de manhãzinha, os foliões cantavam versos em agradecimento pela acolhida”, diz Dona Moça.

Segundo a Wikipédia, Terno de Reis refere-se a canções e pequenos grupos de músicos que as realizam, com referência à história bíblica dos Três Reis Magos e sua chegada ao lugar onde se encontrava o menino Jesus recém-nascido, baseado na tradição religiosa portuguesa.

Veja também

mundo-13-06-ft-reproducao-internet

Ferida no Líbano diz ter deixado o Brasil após agressão do marido

politica-13-06-Alex-Ferreira-Camara-dos-Deputados

PL que iguala aborto a homicídio tem 78% de rejeição no site da Câmara

policia-13-06-ft-policia-civi-MF-roubo-casal

Casal detido em Marechal Floriano disse que anjo os orientou a praticar furtos em residências

saude-13-06-ft-sesa

Hospital Estadual Central recebe placa comemorativa do selo Diamond pela excelência no tratamento do AVC 

politica-13-06-Helio-Filho-Secom

Armazéns do Porto de Vitória ganham projeto de requalificação

esporte-13-06-ft-gov-es-selecao-capixaba-handebol

Seleção capixaba de handebol disputa Campeonato Brasileiro Cadete

cultura-13-06-ft-gov-es

VII Festival de Leituras Dramáticas Capixabas agita Cachoeiro

saude-13-06-ft-Criar-Comunicacao-Integrada-medico

Mais de 50 médicos do Espírito Santo respondem por processo no CRM